Você tem um número FINITO de dias… Valorize cada um deles!

Este é o primeiro texto que os participantes dos grupos 1 e 2 do meu projeto Metas: Desafio dos 30 Dias leem quando se inscrevem. É basicamente o texto de boas-vindas.

Tive que fechar os grupos no Facebook por terem chegado ao limite de inscritos (500), mas como os pedidos têm sido muitos, publico aqui as primeiras reflexões sobre a importância de estabelecermos claramente nossas metas e administrar corretamente não apenas o tempo, mas principalmente nosso FOCO e nossa ENERGIA.

História rápida: tenho em casa um bloco de calendário onde, todos os dias, tiro a folha do dia que passou. Meu filho mais velho, Daniel, gosta de fazer isso comigo. Virou um ‘ritual’ de final de dia, onde sempre pergunto para ele o que mais gostou daquele dia, o que temos de bom para agradecer, o que ficou para fazer no dia seguinte.

No final do ano passado, ao tirarmos a última folha do calendário, ele levou um susto. Olhou-me com aquela cara assustada e perguntou: “Pai! Acabou???!!!??? E agora?”

Expliquei que era o final do ano e que agora precisávamos comprar um calendário novo, com mais 365 folhas.

Ele ficou ali, parado, em silêncio. Só pensando. Aí soltou a pérola: “Mas pai, eram tantas folhas! E acabaram todas! Como passou rápido!”

Pois é, pensei eu… se passa rápido para uma criança de 6 anos, imagine então quando chegar aos 45, como eu. “Por isso”, reforcei com ele, “eu converso sobre cada dia com você. Cada um deles é importante – é assim que precisamos pensar”.

E o mais interessante de tudo (essa eu pensei sozinho): quantos blocos de 365 dias será que eu ainda tenho? 30? 40? (com sorte…). Quantos anos produtivos, com saúde, ainda tenho pela frente?

Isso começa a dar uma ideia clara da finitude das nossas vidas (e da importância de assumir o controle do que queremos, das nossas aspirações e dos nossos ideais).

Esta reflexão é justamente para isso: para relembrarmos da importância de viver cada dia intensamente, de maneira focada, direcionada, buscando atingir as metas e objetivos que definimos como prioridades nas nossas vidas.

Tudo começa por definir claramente COMO queremos viver e quais são nossos grandes OBJETIVOS.

Administrar corretamente o tempo, na verdade, é administrar ENERGIA e PRIORIDADES. E se essa energia e prioridades não estiverem alinhadas com seus VALORES, você nunca vai sentir que está realmente progredindo. Pode até realizar muitas tarefas, fazer muitas coisas, mas terá uma eterna sensação de insatisfação.

Aliás, um dos maiores problemas das pessoas confusas e com má administração do tempo é a falta de clareza em relação aos seus grandes objetivos, prioridades e valores.

Resumo desta reflexão rápida:

  • Seus valores, objetivos e prioridades têm que estar definidos de maneira muito clara e objetiva.
  • Seus valores, objetivos e prioridades têm que estar todos alinhados.
  • Você tem um número finito de dias. Valorize cada um deles.
  • Você não pode alterar os dias que passaram. Mas tem 100% de controle sobre os que ainda têm pela frente. Valorize cada um deles.
  • Administrar corretamente o tempo é, antes de mais nada, administrar corretamente o foco da sua energia para as atividades prioritárias, de acordo com os objetivos que estabeleceu.

Abraços focados e produtivos,
Raúl Candeloro

Entrevista

“Percebo que muita gente pinta a figura do vendedor como alguém com habilidades especiais, carismático, falante, persuasivo e capaz de convencer qualquer um e vender qualquer coisa. É o perfil dominante. Ao mesmo tempo criam a ilusão de que qualquer um pode ser assim, quando na verdade mesmo pessoas introvertidas podem se tornar grandes vendedores, cada um do seu jeito”.

Confira a entrevista com Sandro Santos.

Artigo da semana

Você é criativo?

Por Anderson Rocha

O mundo com suas rápidas mutações exige novas respostas para novos desafios, novos problemas e oportunidades exigem novas maneiras de pensar e agir.

Antes de abordarmos o assunto criatividade, é importante esclarecermos alguns mitos e crenças sobre o tema.

Empresas não são criativas, criatividade é uma característica do ser humano. Somos nós que fazemos as empresas mais ou menos criativas.

Muitos acreditam que quanto mais inteligente, tanto mais criativo você será. É importante ressaltar que a criatividade não é função direta da inteligência. Na realidade é ver o que todos já viram e pensar sobre isto de maneira que ninguém fez antes.

Alguns acreditam que as pessoas nascem criativas e que criatividade não pode ser aprendida. É verdade, todas as pessoas nascem criativas, inclusive você. Porém, podem-se desenvolver aptidões que liberam melhor o nosso potencial criativo. A criatividade pode ser aprendida, assim como alguém aprende a jogar tênis ou tocar bateria. Como disse Walt Disney: criatividade é como ginástica, quanto mais se treina, mais forte fica.

Outro mito diz que as ideias criativas surgem como lampejos ou clarões semelhantes aquelas dos relâmpagos. Persistência e concentração são pontos chaves para a criatividade. Não dá para ter um lindo jardim antes de preparar adequadamente o solo.

A Criatividade é o maior capital dos países ricos. Eles vivem literalmente de ter ideias. A criatividade está enormemente ligada ao poder. Onde ela é muito utilizada às empresas, países e pessoas são poderosos.

Estimular a criatividade é estimular também à flexibilidade, a visão de futuro, a autonomia, ao trabalho em equipe, a liderança, buscar soluções alternativas, etc. Num mundo de mudanças, marcado por turbulências e incertezas, tudo isso se torna fundamental.

Existem algumas expressões, tais como: essa ideia é ridícula, não é adequada a nossa realidade, a mudança é muito radical, sempre fizemos assim e sempre deu certo, dentre outras, que são muito comuns e inibem totalmente a criação.

Com relação à criatividade pessoal é importante ressaltar que todos nós somos criativos. Segundo pesquisas, as pessoas criativas se achavam criativas, enquanto as menos criativas não acreditavam que eram.

Criatividade também é uma questão de acreditar em você, se achar capaz, desafiar o jeito tradicional de fazer as coisas, habituar-se a pensar diferente e questionar – Por que desta maneira? Não haverá outra maneira? De que maneira eu posso, e se… Uma pessoa criativa é uma caçadora de ideias novas e tem um desejo ardente para melhorar as coisas.

Imagine se Santos Dumont acreditasse em todos os que lhe diziam que nada que é mais pesado do que o ar poderia voar.

Não se acomode. Sempre existe uma maneira de fazer melhor, mais rápido ou com menor custo aquilo que você já faz. Se você não pensar nisso, alguém vai pensar e fazer.

Seja curioso. Evite reproduzir tarefas mecanicamente. Busque as causas, os porquês, as implicações. Muitas ideias surgem daí. Ideias não saem do nada. Associe, adapte, substitua, modifique e reduza. As combinações são infinitas.

Pegue objetos ou ideias totalmente diferentes e tente fazer uma conexão. Criatividade é também a habilidade para fazer conexões que os outros não conseguiram.

Atualmente existem duas alternativas: ficar reclamando e lamentando porque as coisas não são do jeito que queremos ou utilizar nossa vontade, competência e capacidade criativa para descobrir novas respostas, caminhos, soluções e ideias. Pense diferente e faça a diferença.

Anderson Rocha é Professor e Palestrante. (www.andersonrocha.com.br)

Opinião do leitor

A Revista VendaMais é a prova que vender não é algo simples e fácil de fazer. Precisa estudar, aprender, reciclar sempre. Parabéns!
Rafael Ivanhes – Via Facebook

Para pensar

“O que me preocupa não é o grito dos maus. É o silêncio dos bons”.
Martin Luther King