Você está disposto a pagar o preço?

João quer emagrecer, mas adora comer e não abre mão de comer algo doce de sobremesa depois de todas as refeições.

Isso é muito comum acontecer: temos uma pessoa que diz ter uma meta, que sabe que precisa fazer algumas trocas (ou seja, pagar o preço), mas que não consegue fazer essa troca.

As pessoas que estão realmente engajadas para atingir uma meta aceitam que terão que pagar o preço.

Você está pronto ou pronta a pagar esse preço?

Se sim, então sempre que colocar uma meta no papel, lembre também de pensar do que vai ter que abrir mão.

Abrir mão de algo é o preço do sucesso.

Resta saber se você:

  1. Entende que precisa pagar o preço.
  2. Define exatamente qual o preço a pagar.
  3. Aceita pagar o preço.
  4. Paga efetivamente o preço.

A palavra-chave aqui é DISCIPLINA para levar até o final essa decisão.

Abraço disciplinado de Alta Performance,

Raul Candeloro

P.S. Texto resumido, extraído da minha newsletter Alta Performance em Vendas e material do meu próximo curso sobre como atingir METAS!

 

Entrevista

Como o e-mail marketing pode ajudar nas vendas

Campanhas de marketing digital bem elaboradas fazem com que as empresas obtenham resultados realmente relevantes frente à concorrência. Em entrevista exclusiva, Felipe Pereira, fundador do Digaí, fala sobre o seu curso E-mail Marketing Efetivo e como o e-mail marketing pode ajudar nas vendas.

 

Artigo da semana

Ouvir e entender o cliente gera satisfação e fidelidade

Anualmente o Instituto Brasileiro de Relacionamento com o Cliente (IBRC), em parceria com a revista EXAME, faz uma pesquisa para avaliar a qualidade do atendimento no Brasil. A pesquisa é feita desde 2010, portanto há cinco anos, nos 26 estados e no Distrito Federal.

 

Opinião

Via Facebbok
Adorei!!!!
Marilda Duarte

(Opinião sobre o primeiro e-book da série que traz absolutamente tudo o que você precisa saber sobre Planejamento Estratégico Comercial: http://bit.ly/pec-erros)

 

Frase

“Escolhe a melhor maneira de viver; o costume a tornará agradável”.
Pitágoras