Eyxo revela dicas de como formatar um vídeo estratégico para melhorar a sua presença digital

O uso constante de smartphone está provocando mudanças na forma como são pensados os conteúdos para o universo digital. De acordo com um levantamento divulgado pela Cisco, em 2019, espera-se que o vídeo online será responsável por 80% do tráfego mundial de internet. As estatísticas para os EUA são ainda mais impressionantes, chegando a 85%.

Diante desses dados, a produtora de conteúdo estratégico Eyxo apresenta 4 conceitos importantes para a produção de um vídeo de qualidade. Mudanças como gravação de vídeo na vertical indicam que os smartphones têm ditado um novo caminho na produção de conteúdo visual.

  1. Atenção cativa

No Youtube, quem está consumindo conteúdo está com a atenção concentrada naquele momento, disponível para assistir a produções mais longas e propenso para assistir outros vídeos em sequência.

  1. O melhor fica no começo

No Facebook, os primeiros segundos são fundamentais para captar a atenção do usuário. Na TV o melhor do vídeo fica para o final, na internet o melhor vem primeiro! É importante que o vídeo seja gravado na vertical para ocupar o máximo da tela do celular e com legendas, já que o usuário muitas vezes está sem fones de ouvido enquanto navega na plataforma.

  1. Estética conta muito

O Instagram preza muito pela qualidade e estética. São vídeos mais curtos e que precisam prender a atenção muito rápido. As legendas também são importantes. No Stories é importante ter uma boa qualidade no áudio, sem formalidades e com a mensagem clara, já que o tempo dos vídeos é curto.

  1. Recorrência

Para todos os tipos de vídeo, em qualquer plataforma, a recorrência é crucial. As primeiras horas da publicação do vídeo são as mais importantes e a vida útil desses materiais é muito curta e precisa de uma continuidade, para que a audiência seja fidelizada e os resultados sejam mais qualificados. Um vídeo por semana é um bom número para marcas que desejam trabalhar com esta linguagem.

Confira a seguir mais dicas de como produzir um vídeo realmente estratégico para o ambiente digital, nesta entrevista com Greta Paz, CEO da Eyxo.

O que vocês oferecem exatamente na Eyxo? Como o seu serviço é diferente de outros no mercado?

A Eyxo facilita esforços de comunicação por meio de estratégia, planejamento e produção de conteúdos, especialmente vídeo web, para todas as plataformas. Muitos nos perguntam se somos uma agência, uma produtora ou uma startup. Para nós, isso pouco importa. O que faz sentido é estar conectado com os movimentos do mercado e fazer uma entrega relevante para os clientes.

Este nosso vídeo mostra um pouco isso: https://www.facebook.com/somoseyxo/videos/331554524000756/

Somos extremamente ágeis nas nossas produções e esse é um dos nossos grandes diferenciais. Além disso, planejamos o que nós mesmos vamos executar. Não existem diversas pontas ou fornecedores trabalhando desalinhados. O nosso trabalho tem sempre uma camada de estratégia muito presente, pensando na melhor maneira de distribuir o conteúdo, no melhor formato e linguagem.

Na VendaMais somos 100% focados em vendas. Como a Eyxo pode ajudar uma empresa a vender mais e melhor? Pode compartilhar com a gente alguns casos de sucesso?

O marketing no ambiente digital pode trazer resultados significativos de vendas, pois tudo é mensurável. Isso deve ser feito, trabalhando com estratégias e KPI’s bem definidos, em produções de vídeos ou outros formatos. Na Eyxo, transformamos marketing digital em vendas.

Gosto de citar o exemplo de um trabalho que realizei para uma distribuidora de cosméticos. Para ela não interessava alcançar um público muito grande ou viralizar. O que a marca queria era alcançar os profissionais certos.

E foi nisso que a nossa estratégia se baseou. Como profissionais que trabalham com beleza são geralmente vaidosos, passamos a gravar vídeos com os maiores compradores da empresa. Em cada episódio, era apresentado um tutorial de beleza que divulgava o profissional e o salão em que trabalhava.

Sabe qual era a nossa métrica? A relação entre o que o profissional comprava antes e depois de aparecer nos vídeos.

Que tipo de empresa pode se beneficiar deste tipo de serviço?

O nosso modelo de negócio e a nossa forma de produção nos possibilita trabalhar com pequenas, médias e grandes empresas, atendendo às necessidades específicas de cada tamanho. Toda empresa que entende a importância de uma produção estratégica para o ambiente digital pode ser nossa cliente e ter benefícios com os nossos serviços.

Quais são os erros mais comuns que você vê as empresas cometendo em relação à forma como usam vídeo nas suas ações de marketing?

Vemos diversos erros recorrentes na produção de vídeos. Eles vão desde uma supervalorização da imagem combinada com um descuido com a captação de áudio, a postagem em formatos errados.

O erro mais comum, entretanto, é achar que produzir para a internet é o mesmo que produzir para a televisão. São ambientes completamente diferentes e as produções são consumidas em momentos e de formas distintas. A web tem uma linguagem própria.

Outro erro comum é não produzir com frequência. Hoje um post de Facebook chega em 75% do seu alcance em pouco menos de 2 horas. Não dá mais para produzir poucas “campanhas” no ano. Precisamos impactar de diferentes formas o nosso consumidor o tempo inteiro.

Isso tem tudo a ver com a questão do investimento em mídia: não adianta investir toda a nossa verba disponível em produção e deixar de impulsionar os conteúdos. Para ter alcance, é sempre necessário um “empurrãozinho”. A mídia tem esse papel.

Dessa lista de erros, qual você considera o mais grave? Por quê?

Produzir para a internet com a lógica de televisão é o erro mais comum e mais grave. Isso faz com que o conteúdo tenha uma baixa performance e é muito raro quem consiga identificar que o problema está na linguagem. Na televisão, o melhor a gente deixa para o final. Na internet, o melhor fica no início para não perdermos a audiência. Precisamos reter a atenção.

Muitos atribuem os problemas de linguagem sempre a outros fatores: ao horário da postagem, à mídia, ao tempo de vídeo. Sem um diagnóstico preciso, acabamos tendo dificuldade de corrigir a rota.

O que se faz então? Não se produz mais e perde-se a oportunidade de compreender o potencial do vídeo na geração de negócios.

Imagine que uma empresa está preocupada em implantar melhorias em relação a este assunto. Por onde ela deve começar? De maneira sucinta e objetiva, quais as principais recomendações?

Definir qual é o objetivo da produção é o primeiro grande passo. Olhar o que os concorrentes e benchmarks estão fazendo também é superimportante. A partir disso, é colocar a mão na massa e começar a produzir. Aproveite um mesmo dia para fazer vários vídeos e otimizar o tempo. Depois, não esqueça de ficar de olho nas métricas geradas para ir aprimorando o conteúdo.

Com tanta experiência na área, quais dicas ou informações você vê sendo dadas pela mídia ou por especialistas no uso do vídeo no marketing com as quais não concorda ou que acha que tiram o foco do que é mais importante e relevante?

A produção de vídeos para a web é um assunto cada vez mais popular. Tem muita gente falando sobre isso. Alguns com muita experiência, outros com nem tanta. As dicas mais comuns são bem práticas e fazem bastante sentido. Elas falam de escolha de equipamentos, da importância de postar com frequência, da necessidade do roteiro.

Porém, na maior parte das vezes que os especialistas dão dicas da parte estratégica, eles falam mais com influenciadores e muito menos com marcas.

Já ouvi falarem que é preciso produzir vídeos três vezes por semana. Nem as maiores marcas do Brasil conseguem fazer isso. É preciso filtrar essas dicas para não abandonar a ideia de produzir.

Para saber mais

Leia também