Venda para a vida: impulsionar ação e mudança

Por Carla Gibahi

Para muitos a venda é uma troca, onde se tem algo para dar e outro oferece o que tem. Com a tecnologia, globalização e uma enxurrada de informações a todo minuto, as questões em vendas têm se transformado e o vendedor tradicional se vê perdido nesse mundo competitivo e esmagador.

A dúvida de como oferecer, de quanto oferecer e para quem oferecer paralisa, quando ao seu redor o deslizar de um dedo ou em um click se vai mais uma oportunidade de negócio. Isso tem acontecido com você?

As perdas estão sendo constantes em seu negócio?

Para um modelo de liderança em vendas, o autoconhecimento e o desenvolvimento de competências ajudam a descomplicar a percepção e resistência do vendedor para com seu cliente, e vice-versa.

Todos devem saber que, para uma borboleta nascer, antes ela precisa ser lagarta, pupa e casulo. Através desse processo de metamorfose, surgirá então uma linda e colorida borboleta, que irá polinizar o mundo. Mas se você conseguir observar a saída desse casulo reconhecerá que o pequeno animal fará muito esforço, num sofrimento com aparência de dor. Se alguém resolver cortar o casulo para melhorar a passagem, a borboleta não conseguirá voar, pois seu corpo ficará murcho e suas asas amassadas. Pois justamente o casulo apertado e todo o esforço necessário da borboleta para passar naquela pequena abertura são os modos como ela exercita e fortalece suas asas.

O que a borboleta nos apresenta é o entendimento do seu processo de transformação que a impulsiona através de sua dor à mudança necessária para agir.

Na vida pessoal e profissional, o autoconhecimento tem sido uma ferramenta extra para maximizar resultados através do entendimento humano. Ele permite o controle das próprias emoções e também uma mudança de estado no ambiente externo.

Veja bem, você não vende coisas, você vende emoção. Em qualquer ramo, vendemos emoções, pois vendemos para humanos, e não para robôs ou máquinas. Você trabalha com pessoas, ou para pessoas, que são estimuladas por suas emoções, que geram energia e que buscam também energia. Se tivermos a emoção certa, conseguiremos o resultado que buscamos, pois os estímulos podem bloquear ou impulsionar uma ação.

Um salto para a mudança

Quando dominados por nossos impulsos, não conseguimos enxergar além, ficamos sem perspectivas e sem gerar solução. Mas quando você é líder de si mesmo, além de perceber as possibilidades, você descobre e amplia suas competências. O alcance de grandes resultados está na habilidade de se reinventar perante os conflitos, sejam internos ou externos.

Explorar uma competência ou habilidade nova vai te levar a um salto de mudança. Você deve contemplar e compreender que, ao se deparar com o novo, você gera inúmeras possibilidades de crescimento e desenvolvimento. É nesse salto para o desconhecido que sua mente questiona e cria experimentos para inovar e agir.

A mudança que a tecnologia e a integração das informações geraram são visíveis. Mas a diferença está na sua mente que proporciona infinitas chances de fazer algo acontecer, de fazer dar certo. É na sua mente que está o recurso necessário e extraordinário de ultrapassar as barreiras que te impedem de progredir.

O maior sistema de alavanca é a sua mente, e o que você pode criar através dela.

Vincule sensações positivas em sua negociação e obtenha a diferença que o cliente procura. Focalize no que afeta uma pessoa, e tenha a chave da mudança em suas mãos. Proporcione um prazer inigualável para uma pessoa e tenha um relacionamento duradouro.

A chave está no estado emocional que você cria e vincula ao produto, serviço ou ideia. Um padrão emocional bem aplicado requer respeito, sinceridade e envolvência. Isso nenhuma máquina pode trazer, apenas o material humano que você tem. Vá e crie o resultado que você deseja.

Carla Gibahi é coach de mente e desempenho.

Leia também: