Uma nova atitude em TI: conheça o case de sucesso da FCamara

Qual o valor de uma ideia? Para Fabio Camara, uma ideia tida no quarto de casa, em 2008, foi o início de uma revolução na própria vida e na de muitas empresas. Fabio começou realizando consultoria para projetos de tecnologia e hoje comanda um time de técnicos dispostos a levar a inovação em Tecnologia da Informação (TI) para empresas dos mais variados portes. De lá para cá, a empresa FCamara recebeu o Prêmio ABCCOMM de inovação digital em 2017 como melhor empresa de serviços para e-commerce. Além disso, é considerada uma das três melhores parceiras Microsoft no quesito Cloud.

“Em linhas gerais, nosso mantra é ‘uma nova atitude em TI’. Entretanto, tem uma pegadinha nisso. TI está sem pontos, ou seja, é em ti mesmo. Temos a pretensão que todas as pessoas que interajam conosco não sejam mais as mesmas depois. Algo vai se transformar em cada um que interagir conosco. Por isso, ministramos aulas de liderança, de filosofia e de psicologia para todos os interessados, clientes e consultores”, explica o CEO da FCamara. A empresa atua com três principais objetivos: promover soluções, capacitar tecnicamente e oferecer autonomia em projetos de tecnologia.

Case Buscapé: 1.000% em 3 meses

As soluções da FCamara ajudaram, por exemplo, o site Buscapé a atingir o expressivo crescimento de 1.000% em 3 meses por meio da plataforma de e-commerce Magento. O desafio principal era evoluir a tecnologia do site para propiciar a compra em apenas um clique. Para isso, o site de comparação de preços buscava oferecer aos usuários a oportunidade de comprar os produtos desejados logo após a pesquisa, entre as principais lojas do mercado.

Para tornar isso uma realidade de forma ágil, era preciso estabelecer parcerias com soluções do mercado tanto para gestão de frete quanto para pagamentos, procurando atingir a maior quantidade de lojistas. E foi assim que a FCamara desenvolveu o checkout do Buscapé, permitindo ao site subir de 20 para 1.500 lojistas ativos no canal marketplace. O site passou a disponibilizar nada menos do que 2 milhões de ofertas para compra.

Para conhecer um pouco mais da história da FCamara, conversamos a seguir com Fabio Camara, CEO da empresa:

Vamos começar pelo começo: como e quando surgiu a FCamara?

A empresa surgiu como ideia em meados de 2008 e como iniciativa no quarto de minha casa, em outubro de 2008. Eu não tinha dinheiro e queria me aventurar em um “autoemprego” (consultoria de um consultor só). Por isso planejei me endividar por no máximo 4 meses, verifiquei com o banco se ele me emprestaria um dinheiro se desse tudo errado e comecei com um cardápio de quatro temas de palestra, treinamento, mentoria e coaching. Como eu não tinha claro quem seria meu cliente-alvo, batizei a empresa com o meu nome reduzido, tentando assim alcançar marketing pelo motivo de ter sido um influente palestrante da Microsoft e ter escrito 17 livros técnicos. Se eu soubesse que nos tornaríamos a maior empresa integradora de TI para o segmento de e-commerce e varejo do Brasil, certamente teria batizado de FCommerce ao invés de FCamara.

Já em 2009, conquistamos projetos relevantes e contratei pessoas para somar ao time. De autoemprego fomos muito rapidamente para “eupresa” (empresa muito dependente da imagem do fundador). Em 2010, já erámos mais de 50 consultores e eu comecei a me preocupar na transformação de “eupresa” para empresa pequena. Hoje somos um grupo de cinco empresas e temos pouco mais de 500 consultores somando ao time.

Fabio Camara, CEO da FCamara - revolucao em ti

Fabio Camara, CEO da FCamara

Quem é seu público-alvo e como vocês se diferenciam de outras empresas da área?

Gostamos muito de “fugir do lugar comum”. Por isso, não temos realizações com empresas muito conservadoras. Inovação, apesar de agora estar na moda, era nossa intenção prática desde o início e temos muitos casos de sucesso para contar nesse contexto. Como não temos vendedores formais, todos os profissionais da nossa empresa são consultores técnicos. O nosso público-alvo são empresas que realmente querem inovar, querem se reinventar e acreditam que o meio para isso é a informática.

Vocês têm Missão, Visão, Valores bem definidos? Se sim, quais são?

  • Nosso propósito: Criamos a FCamara para formar pessoas. Atualmente, nossa inspiração é ver o sucesso de nossos clientes e consultores.
  • Nossa missão é fazer as empresas crescerem.
  • Valores:
  1. Nós formamos pessoas e não somente técnicos.
  2. Nós temos competência interdisciplinar.
  3. Nós estamos sempre prontos para novos desafios.
  4. Nós construímos relações de sucesso.
  5. Nós somos protagonistas de nossas histórias.

Temos um código de cultura que é público. É possível acessá-lo nesse link: Código de Cultura FCamara.

Em linhas gerais, nosso mantra é “uma nova atitude em TI”. Entretanto, tem uma pegadinha nisso. TI está sem pontos, ou seja, é em ti mesmo. Explicando melhor, temos a pretensão que todas as pessoas que interajam conosco não sejam mais as mesmas depois. Algo vai se transformar em cada um que interagir conosco. Por isso, ministramos aulas de liderança, de filosofia e de psicologia para todos os interessados, clientes e consultores.

Também temos nossa hash tag: é #sanguelaranja! Sangue, porque assim como nós, o sangue é um grande integrador, levando informações por todo o corpo humano. Laranja, porque é a primeira cor a ser notada numa exposição aos olhos, contudo não é gritante chamando a atenção. É assim que somos, notados sempre, apelativos não!

Quais foram as maiores dificuldades nestes últimos dois anos, com a economia em recessão?

É discurso batido falar que na crise é que estão as maiores oportunidades. Mesmo sendo racional esse pensamento, a crise é pauleira. Tem que ralar muito, muito mesmo. Todos os nossos clientes diminuíram as operações conosco e consequentemente vieram as demissões. Isso foi muito ruim, pois eu penso que é a pior coisa que existe é demitir um consultor que acredita no meu projeto, na nossa FCamara. Nessa hora, tem que se reinventar mesmo, e criamos um monte de ideias. Nasceu a venture builder “Orange Founders”, nasceram cinco startups, e voltamos a crescer. Tomara que estejamos mais maduros para a próxima crise, pois não é nada fácil, exige tudo de todos.

Quais foram os principais sinais de sucesso que começaram a aparecer, mostrando o acerto da estratégia e modelo de negócio da FCamara nestes últimos meses?

Objetivamente, se não temos vendedores e estamos com fila de projetos para fazer, o mercado entendeu nosso valor. Hoje recebemos pelo menos uma empresa nos procurando por semana querendo nos contratar para alguma experimentação, inovação ou projeto de melhoria de sistemas existentes. Nos acessam por todas as vias, WhatsApp, Instagram, Facebook e Linkedin. É bem legal perceber que estamos em todas as redes e interagimos por todas elas.

O que vocês fazem que é totalmente diferente da maior parte dos concorrentes?

Do lado das pessoas, a formação em liderança, filosofia e psicologia que ministramos é reconhecido por todos. Abre a cabeça para uma consciência mais adequada para a evolução profissional e individual. Do lado dos serviços, nossa flexibilidade, nossa visão orientada ao cliente permite alcançar os resultados com mais rapidez. Em nossos projetos não desperdiçamos energia com discussões técnicas e críticas às ideias. Simplesmente experimentamos de tudo e descobrimos na prática qual a melhor ideia e qual a mais adequada tecnologia para essa ideia. Temos um método econômico de validar hipóteses e somente implementamos depois de experimentarmos.

Especificamente em relação a Vendas (que é nosso foco na VendaMais), como vocês treinam a equipe comercial para reforçar seus diferenciais e não cair na guerra de preços?

Todo vendedor de certa forma é um excelente mentiroso, e isso não é um problema – muito pelo contrário. O verdadeiro problema é acreditar em suas próprias mentiras. O que treinamos o tempo todo com todo o nosso time que tem alguma influência comercial é que não podemos acreditar nas nossas mentiras, nem nas mentiras dos clientes. Notícia ruim não fica boa com o tempo, por isso antecipar problemas é a solução. O menor prejuízo é sempre o primeiro – acredite nisso. Pois pior do que vender um projeto ruim, é estar indisponível para um bom projeto.

Outro ponto importante é estar atento ao CPL (Custo por Lead) e ao CAC (Custo de Aquisição de Cliente). Isso é uma goteira que ninguém costuma dar atenção nas empresas de TI, porém consome energia, recursos e inteligência. Acreditamos que no máximo três reuniões/visitas para a conclusão de um negócio novo. Se precisa mais que isso, estamos forçando a natureza. O cliente ou o negócio não está maduro ainda.

O que vocês têm feito de especial para atrair novos clientes e que tem funcionado bem?

As redes sociais são bons veículos de divulgação barata, desde que a mensagem seja de pessoas para pessoas. Não adianta investir em propaganda da empresa para pessoas, isso somente se a estratégia for para melhorar o conhecimento sobre a marca. Vender serviços é relação de confiança, é boca a boca. Alguém que gostou do seu trabalho ou acredita no seu trabalho tem que comentar nas redes. Isso tem alcance viral. Se muita gente fala bem de você nas redes sociais, certamente o retorno virá.

E em termos de fidelização de clientes, algo em especial que façam para que os clientes continuem comprando ou fazendo negócios com vocês?

Reinventar é a receita, se é que podemos afirmar que existe receita. Na prática, acreditamos que todos os clientes são livres, não geramos dependência. Se estamos renovando, é porque conseguimos ajudar o nosso cliente a se reinventar. Rotinas monótonas fazem o cliente reduzir a operação ou pedir desconto. Atividades novas e curiosas criam expectativas evolutivas, melhorando a relação cliente-fornecedor. É um paradigma, pois em TI tudo tende a cair na governança da repetição burocrática. Ficamos fugindo disso o tempo inteiro. Falamos assim para o CIO: vamos parar com esta desarmonia com as áreas de negócios? Juntos fazemos a empresa crescer mais rápido.

Existe algo que era feito antes e que vocês PARARAM de fazer, por mais dura que fosse a decisão, para atualizarem seu modelo de negócios?

Mentoria e coaching de métodos para gestão de times altamente produtivos para os nossos clientes. No início, isso era bem gostoso de fazer, contudo é praticamente impossível de escalar. Eu ministrava muitos pessoalmente e hoje não consigo mais uma agenda regular. Tivemos que nos adaptar, pois essa era a forma que conquistávamos mais negócios. Hoje conquistamos pelos resultados dos projetos, a parte da formação ficou menos formal.

Em quais áreas da empresa foram feitos os principais investimentos nesse processo de crescimento da FCamara? Não só em termos de dinheiro/investimentos, mas revisão de processos, aumento de eficiência, etc. Ou seja, onde foi colocado mais foco e energia?

Nosso maior desafio é a formação de líderes. Formamos por vocação, contudo ser líder é uma escolha individual. A ausência de líderes formados com o nosso código de cultura, com os nossos princípios de liderança, é o nosso impeditivo para crescimento.

Por exemplo, temos cinco startups, mas somente duas estão crescendo exponencialmente. Por quê? Porque temos excelentes lideres nestas duas e as outras três ainda carecem disso.

Hoje estamos defasados e estou investindo cada centavo que posso para encontrar, identificar, formar, fidelizar e evoluir novos líderes. Nosso crescimento não é uma questão de mercado, é uma questão de liderança!

Quais os próximos passos? Ou seja, o que estão planejando para o futuro? Qual o próximo grande objetivo?

Estamos na fase de nos reinventar mais uma vez e estamos apostando que uma parceria com empresas e tecnologias chinesas será o nosso caminho para 2019. Acabei de voltar de uma missão de negócios na China e tudo que vi por lá me causou excelente impressão. Estou buscando tecnologias de reconhecimento facial, inteligência artificial e smartbands integradas com soluções.

Que conselhos daria para um empreendedor pensando em iniciar um projeto pessoal mas ainda relutando se começa (arrisca…) ou não?

Intuição, cada um tem uma própria que é infalível. Estude como você consegue acessar sua intuição, tem várias ciências que ensinam isso. A que mais me agrada é a Ontopsicologia. Seguindo sua intuição, o projeto será vencedor.

Existe algum livro, vídeo, filme, pessoa que mais influenciou sua trajetória pessoal/profissional e que você recomendaria para pessoas que querem resultados melhores?

Muitos, adoro estudar através de livros e de filmes. Também tenho os meus gurus, que me inspiram a querer sempre mais. Dos livros que mais gostei posso citar “Psicologia Empresarial”, de Antonio Meneghetti, um livro bem completo que trata de intuição nos negócios. Já filme eu gosto muito de um chamado “Lendas da Vida”, com Matt Damon e Will Smith (título original é “The Legend of Bagger Vance”). Ele também trata sobre a intuição do líder.

Algum comentário final que gostaria de fazer para nossos assinantes e leitores da VendaMais?

Ler é fantástico, esta revista é fantástica. Porém eu acredito que somente aprendemos em grupo e depois evoluímos individualmente. Pegue os artigos que mais te chamou a atenção e discuta com seus amigos. Encontre pessoas que concordem e outras que discordem. Isso tornará esta leitura uma experiência real. Também experimente algumas ideias expostas, isso é econômico. Aprender com as experiências dos outros é um enorme atalho para nossa própria evolução.

Para saber mais

Leia também: