Quando sairemos da quarentena?

Criamos uma Central de Guerra para lidar com o caos econômico criado pela pandemia

Cursos, e-books, vídeos, entrevistas, casos de sucesso na adaptação…

Tudo de maneira rápida, simples, objetiva para ajudar você da área comercial neste momento difícil

É a VendaMais cumprindo sua missão de ajudar vendedores e empresas do Brasil a venderem mais e melhor. Vendas levado a sério. O show precisa continuar!

Clique e aproveite tudo que estamos disponibilizando: https://www.vendamais.com.br/central-de-guerra-covid-19
***

Quando a economia e as vendas voltarão ao normal?

Tenho ouvido essa pergunta com frequência nas reuniões/calls/lives que temos feito nas últimas semanas com empresários que nos buscam na VendaMais.

Como planejar a retomada, como entender quanto tempo pode durar, que tipo de sinais deveríamos buscar?

Como os efeitos econômicos (recessivos) são causados pela quarentena e a quarentena é extremamente necessária para contar o contágio, precisamos então entender a questão da quarentena.

A questão deixa de ser se fica ou não de quarentena (ela é necessária), mas sim como saber quando relaxá-la, para que a quarentena não estrangule a economia?

Vamos ter um processo natural de liberação gradual e seria bom que tivéssemos uma metodologia para isso e não apenas achismos subjetivos.

Os especialistas consultados pelo New York Times criaram uma lista de 4 pontos, baseados em dados (e não achismos) para que um governo municipal, estadual ou federal possa lidar com o assunto de maneira mais objetiva.

1) Hospitais precisam estar preparados para lidar com todos os pacientes que precisam de hospitalização, sem entrarem em crise. Isso significa número suficiente de leitos, ventiladores e equipe preparada.

2) Autoridades precisam poder testar qualquer pessoa que tiver sintomas, com resultados confiáveis e rápidos.

3) Secretarias de Saúde precisam monitorar casos confirmados, traçar retroativamente possíveis contatos das pessoas infectadas e garantir que estes contatos possivelmente contaminados sejam testados e isolados se necessário.

4) Precisa existir uma diminuição de casos em pelo menos 14 dias seguidos, porque é esse o tempo que uma pessoa infectada pode levar até exibir sintomas (enquanto isso, mesmo sem saber, a pessoa pode estar contaminando outros).

Com base nestes pontos iniciais, cada município e/ou estado poderia ter uma visão melhor da sua própria situação e de um cronograma (organizado, claro, transparente, baseado em dados) de liberação gradual e volta à atividade econômica.

Sempre de alerta, porque caso surjam novos focos e a epidemia volte a se alastrar, é bem provável que tenhamos nova necessidade de isolamento.

Enquanto não tivermos uma vacina confiável produzida, distribuída e aplicada em larga escala, este é o cenário mais provável (de abrir e fechar conforme novos focos apareçam).

E se isso for realmente acontecer, seria melhor já desenvolver uma lógica e processo para que seja feito da forma mais eficiente possível.

Isso permitiria também que autoridades e sociedade pudessem trocar entre si informações atualizadas para que as melhores práticas fossem disseminadas e replicadas no máximo possível de localidades, sem a influência de fatores externos ideológicos. (Vírus, vamos lembrar, não está nem aí para ideologia ou para opinião das pessoas – ele só tem um foco, que é se reproduzir, contaminar e matar).

Um pouco mais de objetividade em assuntos assim sempre ajuda a tornar o processo de retomada mais eficiente e rápidos, com o mínimo custo possível (que já vai ser alto, em vidas e financeiramente, e que por isso mesmo merece atenção total nossa).

Resumindo:

  1. Hospitais realmente preparados.
  2. Testes rápidos, confiáveis, em quantidade.
  3. 100% de casos confirmados monitorados.
  4. Diminuição do número de novos casos 14 dias seguidos.

Com base nisso, fica mais fácil de replanejar sua vida e os negócios.

É só olhar na sua cidade, revisar a lista, ver como a coisa está se encaminhando e se realmente estão preparados para sair da quarentena/isolamento.

Para terminar, lembre: quantas pessoas contagiadas precisa para iniciar uma pandemia?

Apenas UMA. Enquanto não tivermos a maior parte das pessoas imunizadas (seja porque já foi contagiada e sobreviveu, seja por uma futura vacina), apenas UMA pessoa contagiada reinicia todo o processo.

Cidades e estados que fizeram quarentena em pandemias anteriores tiveram não apenas menos mortes mas também menor impacto econômico e retomada econômica mais rápida também.

Como a quarentena é necessária mas extremamente danosa em termos econômicos, ela precisa ser gradualmente relaxada.

Vamos ter um cabo de guerra permanente nas próximas semanas e meses entre a parte de saúde (morte de pessoas) e a parte econômica (morte de empresas).

Endurece/relaxa vai ser o novo normal por um bom tempo, melhor se preparar para isso.

Muito mais uma retomada em formato WW do que V ou U.

Com as informações acima você consegue monitorar melhor seu ambiente e tomar decisões mais bem embasadas no seu planejamento e visão de futuro.

Abraços socialmente isolados mas muito próximos em positividade

Raul Candeloro
Diretor
VendaMais
P.S. Não deixe de visitar nossa Central de Guerra: https://www.vendamais.com.br/central-de-guerra-covid-19