Prepare seu pequeno e médio e-commerce para a Black Friday

7 dicas de como vender mais na Black Friday, fidelizar clientes para próximas compras e aumentar o lucro e a taxa de conversão do e-commerce

Por Daniel Palis

De acordo com a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (Abcomm), o comércio eletrônico brasileiro deve faturar R$2,87 bilhões na Black Friday. Um crescimento de 16% em relação a 2017. A expectativa da Abcomm é que os sites de varejo online recebam mais de 8,8 milhões de pedidos, com tíquete médio de R$326. As categorias mais buscadas devem ser: informática, celulares, eletrônicos, moda e acessórios e casa e decoração. A estimativa leva em conta os dias 22 e 23 de novembro.

Mas se engana quem pensa que apenas os gigantes do varejo online podem ser competitivos nessa data. É possível que e-commerces menores se posicionem com inteligência e eficiência e ganhem a atenção do consumidor durante a Black Friday. Para isso, confira a seguir 7 dicas para potencializar as vendas de pequenos e médios e-commerces.

  1. Site clean, de fácil navegação e chat online

Seu potencial cliente quer encontrar o que procura com facilidade, agilidade e segurança. Por isso, priorize a boa navegação e a organização de seus produtos no site. Também é fundamental disponibilizar chats online para auxiliar o cliente, esclarecendo todas as dúvidas durante a jornada de compra. Essas boas práticas ajudam diminuir o bounce rate ou taxa de rejeição do site, que indica quantos visitantes acessaram uma única página e, em seguida, saíram.

  1. Navegação fácil e repleta de imagens dos produtos para smartphones

Segundo a empresa de retargeting Criteo, 48% das transações online já são feitas em dispositivos móveis. Por isso, é fundamental proporcionar uma boa navegação nessa plataforma. Neste contexto, é necessário que o site tenha menus curtos na página inicial, filtros de busca no campo de pesquisas e anúncios visuais expansíveis e objetivos.

Os menus curtos isso e os filtros de buscas facilitam a interação dos usuários com os produtos, aumentando suas taxas de conversão. Já os anúncios com imagens expansíveis possibilitam que o cliente de fato visualize no detalhe o produto que deseja, o que aumenta a confiança do usuário e, evidentemente, a taxa de conversão.

  1. Tenha um site bem “tagueado”

Tags são trechos de códigos de programação que são inseridos nas páginas da internet. Eles são capazes de coletar informações importantes para a mensuração de resultados das campanhas. As tags trazem dados como: quantidade de cliques em determinado anúncio, origem do tráfego e conversões. Ou seja, ter todas as ferramentas para entender qual é o comportamento do público é vital para a saúde do negócio e também para melhorar estratégias de conversão.

  1. Gere conteúdo e atraia novos usuários desde já

Se sua intenção é aumentar o volume de vendas na Black Friday, é extremamente importante que desde já comece a atrair novos usuários para seu site. Uma boa forma de fazer isso é utilizar estratégias de topo de funil, que é a fase de conscientização e engajamento.

Na prática, é preciso gerar conteúdo de qualidade com foco em prestação de serviço, preferencialmente sobre um tema correlacionado ao seu negócio, mas jamais com um viés publicitário. Dessa forma, o consumidor vai identificar seu site como plataforma de informação de qualidade, criando engajamento, o que se converte em aumento no número de visitantes e tráfego orgânico do site. Assim, quando chegar na Black Friday, suas conversões tendem a ser maiores, pois os consumidores já possuem uma relação com sua empresa.

  1. Utilize e-mail marketing

Se você deseja impactar públicos já conhecidos, sejam eles compradores frequentes, eventuais ou até meros interessados, a estratégia de e-mail marketing pode ser uma opção com custo-benefício muito boa para seu negócio. Pode-se afirmar inclusive que o e-mail marketing é uma das melhores maneiras de entregar as mensagens certas, para as pessoas certas, na hora certa.

Para isso, tudo o que você precisa é de uma ferramenta de CRM (Gestão de Relacionamento com o Cliente, em tradução literal) que seja capaz de gerir sua base de contatos e segmentá-la de forma a garantir uma comunicação mais assertiva com seus diferentes públicos e personas. Essa divisão de perfis e conteúdos direcionados via e-mail pode também ajudar muito na sua estratégia para Black Friday. Afinal, se a pessoa já está no seu cadastro de e-mail marketing, algum contato entre marca e cliente já aconteceu.

  1. Remarketing

O remarketing consiste basicamente em impactar com anúncios pessoas que já tiveram algum tipo de contato com seu site ou produto. A ideia é relembrar essa pessoa acerca de um produto que ela já se interessou em algum momento. A ação é muito parecida com e-mail marketing, já que trabalha com listas de e-mails. Vale ressaltar que a melhor estratégia é segmentar as mensagens para diferentes tipos de público do site:

  • o que só visualizou o preço
  • o que inseriu o item no carrinho e desistiu
  • e quem já comprou.

Em tese, esses consumidores já se encontram no seu funil de venda e isso pode aumentar as chances de conversão, especialmente durante promoções efetivas como a Black Friday, onde as pessoas estão pré-dispostas a comprar.

  1. Análise da concorrência

Para os negócios prosperarem, é sempre importante estar atento às mudanças e inovações do mercado no que diz respeito à utilização de novas estratégias e tecnologias de conversão. Uma boa forma de checar se existem novas técnicas é analisar se seus concorrentes diretos estão utilizando algo que possa estar atraindo mais pessoas para o site. A análise é válida, mas vale também sua tentativa de inovação para garantir um posicionamento de mercado mais vantajoso e melhores resultados para seu negócio.

Daniel Palis é sócio-fundador da agência de marketing digital Calina, especializada em pequenas e médias empresas. A missão da agência é disponibilizar o que há de mais moderno e eficiente em marketing de performance para companhias que demandam esse tipo de solução, mas que não têm acesso a elas.

Para alcançar esse objetivo, a Calina se baseou no polo tecnológico de São Carlos, interior de São Paulo, e construiu uma equipe composta integralmente por engenheiros e profissionais de tecnologia formados pela Universidade de São Paulo (USP) e pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Cabe a essa equipe não só aplicar os serviços, mas principalmente introduzir a cultura do marketing digital no cliente, elucidando as dúvidas e explicando de maneira clara e assertiva como os serviços de marketing digital podem se alinhar e impactar positivamente o negócio.

A Calina foi criada em janeiro de 2017 por Daniel Palis, especialista em marketing digital, e por André Palis e Tulio Kehdi, ex-executivos do Google e fundadores da Raccoon, uma das maiores agências de marketing digital do País. Mais informações: https://calina.ag/

Leia também: