Por que a diferença entre 98% e 100% é enorme?

***
Pensando em fazer um MBA, pós, curso de extensão ou mestrado em 2021?

Faça algo muito mais prático.

Venha fazer o GEC, meu curso online 100% focado em gestores de equipes comerciais

Conversa séria mas descontraída, de gente grande, de líder para líder
www.queroparticipardogec.com
***

Acho que já contei esta história da cobra no Butantã mas acho que vale a pena ser recontada.

Na época eu tinha 14 ou 15 e meus pais nos levaram a São Paulo, conhecer a cidade. Visitamos todos os pontos turísticos e nesse dia em especial fomos visitar o famoso Instituto Butantã.

Estávamos meu irmão e eu olhando algumas cobras quando nos deparamos com uma descamando, com a pele caindo aos pedaços em várias partes. O aspecto dela erra terrível – parecia que estava doente ou com algum problema sério.

Meu irmão e eu, aproveitando a presença da bióloga que nos servia de guia, perguntamos o que a cobra tinha e porque ela estava assim, doente.

A bióloga explicou que, ao contrário do que pensávamos, aquela era uma cobra bem saudável. Ela estava passando por um processo natural de troca de pele, que permitiria que ela continuasse crescendo.

Naquele período de troca ela se esfregava nas pedras, para tirar a pele morta que claramente parecia incomodar. Mas mesmo parecendo doente aquilo era, no fundo, um processo de transformação. O ‘eu’ antigo dela melhorando de versão, para que seu ‘eu’ futuro pudesse ser melhor.

Isso acontece muitas vezes na nossa vida também, por isso gosto da analogia.

Às vezes precisamos passar por esse período de ‘mudança de pele’. Ele não é agradável nem atraente, mas é totalmente necessário e fundamental para o crescimento e para a evolução. Sem esse ‘renascer’ não existiria uma versão melhorada e aprimorada de você mesmo ou de você mesma.

Mas para existir o renascer, esse crescimento, às vezes precisa haver também uma pequena morte. Precisamos nos livrar de coisas antigas que carregávamos, que podem até terem sido úteis num momento mas que agora são pesos, hábitos que nos acostumamos a carregar e repetir mas que já não fazem mais parte da pessoa que você realmente quer e pode ser.

Quando você olha para trás, você pode até imaginar um passado mais feliz, alegre, com mais energia. Mas a sabedoria que tem hoje só aconteceu por tudo que passou. Sua capacidade de superar desafios, de lidar com diferentes tipos de situação, seu conhecimento de si mesmo/a e dos outros é infinitamente superior ao que era antes.

Uma das grandes lições de vida que a experiência vai nos trazendo, por exemplo, é começar a definir claramente o que NÃO se quer.

O que NÃO QUEREMOS na vida é uma força poderosíssima. E ter clareza e ser honesto/a em relação a isso, é extremamente útil.

Por outro lado, não é suficiente. Você precisa definir claramente o que QUER. Não se pode ter uma vida plena, de alta performance, saudável, realizada, só fugindo e evitando o que não se quer.

O que você quer?

Clareza ao que se quer é tão ou mais importante sobre o que não se quer. É como ying/yang – as duas coisas andam juntas e uma existe dentro da outra. Elas se auto e retro-alimentam.

Tem uma frase do Robert Brault que eu adoro, que diz que o que mais nos impede de atingir nossas maiores metas não são os obstáculos e desafios mas sim um caminho claro para objetivos menores.

Note como isso é poderoso. O ser humano é movido a atingir metas. E quando você se coloca desafios pequenos e metas pequenas, é isso que você consegue.

Sua visão futura de você mesmo/a é quem vai definir o seu presente.

Como você se vê em 2021, por exemplo? Em 2025?

Não precisamos ser hoje o que fomos ontem, assim como não precisamos ser amanhã o que somos hoje.

A excelência começa com uma simples decisão, como disse Thomas Watson, da IBM, que é a decisão de ser excelente e deixar de fazer tudo que não for excelente.

Não viva pequeno. Não seja uma versão menor de você mesmo ou de você mesma.

100% é muito mais fácil do que 98%, palavras sábias de Clayton Christensen, professor de Harvard que falava sobre inovação e quando descobriu que tinha câncer terminal passou a falar sobre propósito, missão e sentido de vida.

Quando você está 100% comprometido com seu sucesso e com uma visão positiva maior de você mesmo (e, se você é líder, uma visão positiva maior da sua equipe), as coisas ficam muito mais claras.

O problema é de quem está 98% comprometido. Essas são as pessoas que começam uma dieta e param. Elas não estavam 100% comprometidas. Estavam 98% e todos os dias tinham que pensar e decidir se continuavam a dieta ou não.

São as pessoas que decidem que vão para a academia e estão 98% comprometidas com isso. Chega uma 6ª feira fria e chuvosa e elas falham, como falharia qualquer ser humano 98% comprometido.

Quando você está 100% comprometido, não tem discussão mental. Não tem dúvida. É aquilo, porque você resolveu que seria e porque sabe que é importante para você – agora e, principalmente, para seu eu melhor e maior de amanhã.

Como disse Dan Sullivan, quanto maior seu futuro, melhor seu presente.

Abraço, sucesso, boa semana e conte sempre com a gente aqui na VM para ajudar você e sua equipe de vendas nessa caminhada.

Principalmente quando estiver passando pelo processo de crescimento e melhoria.

Raul Candeloro
Diretor

P.S. Se você é gestor/a de vendas e sente que está na hora de ‘trocar de pele’ e reafiar o machado no seu processo de liderança de uma equipe de vendededores/as de alta performance, venha passar o ano comigo vendo como fazer isso na prática, sem ter que reinventar a roda: www.queroparticipardogec.com