O que falta para consumidores comprarem mais por e-commerce

Por Walter Bier

Uma pesquisa realizada pelo Google e publicada na plataforma Think with Google traz informações importantes sobre as vendas do e-commerce em datas comemorativas. O levantamento mostra que o Dia dos Pais foi a segunda data sazonal com mais pedidos no comércio eletrônico brasileiro em 2018, atrás apenas do Natal. Mas os consumidores ainda compram pouco pela internet – apenas 21% afirmam que costumam adquirir os presentes por sites ou aplicativos.

Em partes isso é justificado pelo momento em que as pessoas compram os presentes: 41% deixam a missão para véspera ou até para o dia da comemoração. Com pouco planejamento, são obrigados a recorrer à loja física, que garante a entrega imediata. Para avançar mais neste tema, em sua pesquisa, o Google também perguntou o que faria o consumidor migrar para o e-commerce. A resposta é uma combinação de fatores: frete barato, promoções e prazo curto de entrega.

O frete grátis ou com valor baixo é o principal fator que motivaria a compra pela internet para 35% dos entrevistados, seguido por promoções (25%) e prazo de entrega curto (24%). Isso significa que a logística pode ser o diferencial para alavancar de vez as vendas de e-commerce no Dia dos Pais e outras datas. 

Tecnologia e inteligência logística

Neste cenário, as empresas de logística têm uma tarefa difícil e primordial: entregar o produto em menos tempo e com preços baixos. A saída é apostar em tecnologia e inteligência logística, o que possibilita solucionar boa parte dos desafios da entrega, principalmente no last mile, que atualmente representa um dos gargalos do e-commerce. Essa última milha, que é a etapa final da entrega, representa alguns obstáculos, já que envolve o cliente e por isso exige ainda mais cuidado e precisão. 

É neste momento, quando podem ocorrer os insucessos na entrega, que ganha ainda mais importância o planejamento e a inteligência da logística. Afinal, fornecedores, operador logístico e entregadores devem estar alinhados para garantir a entrega e o melhor atendimento. Por exemplo, quem entrega a mercadoria ao consumidor final deve ser cuidadoso, porque é quem está representando o e-commerce naquele momento e qualquer incidente ou mal-entendido nesta hora pode impactar seriamente na reputação do fornecedor.

Neste sentido, é fundamental recorrer a ferramentas tecnológicas que garantam a transparência e um processo mais ágil e produtivo de entrega, como aplicativos de rastreamento em tempo real. Buscar parcerias com startups e outras empresas também é uma forma de garantir capilaridade e envios com menos custos. Além disso, os e-commerces devem escolher as empresas que atuam e conhecem a região onde atuam.

>>> Tem uma história de sucesso sobre negociação para compartilhar? Participe da pesquisa sobre NEGOCIAÇÃO que estamos realizando e compartilhe sua história.

Oportunidades para e-commerce 

Mas, além dos desafios, a pesquisa do Google também mostra as oportunidades para o e-commerce neste Dia dos Pais. O levantamento aponta que sete em cada 10 consumidores estariam dispostos a comprar em um novo varejista na data e 61% pretendem dar um presente de uma categoria diferente em 2019. Ou seja, os clientes estão abertos a mudanças e a testar novas marcas. Chegou a hora de e-commerces testarem novas soluções e buscarem inovação também na entrega. 

Walter Bier, sócio-diretor da Diálogo Logística, especialista em entregas para a região sul do Brasil.

Leia também: