Não seja um vendedor camarão

Qual sua definição de EXCELÊNCIA?

Pergunte para dez vendedores qual a definição de EXCELÊNCIA (ou de SUCESSO) na opinião deles e você vai ter dez explicações completamente diferentes.

Isso é normal, pois são dez pessoas diferentes e cada um de nós naturalmente tem uma opinião própria sobre o que é excelência ou o que é sucesso.

O problema é que desses dez vendedores, na média só um parou para pensar de verdade no que isso significa para seu trabalho e para sua vida.

Ou seja, a maior parte das pessoas está correndo atrás de algo que nem sabe direito o que é. Aí fica difícil conseguir.

Mas mais preocupante do que definições vagas são as que limitam a pessoa ao invés de fazê-la crescer.

Isso é comum quando falamos de traçar metas. A pessoa coloca para si mesma metas baixas, não planeja as atividades para atingi-las e depois fica frustrada com resultados claramente abaixo do seu potencial.

Encontro regularmente pessoas vendendo a menos de 50% do seu potencial e que deslancham quando descobrem como melhorar suas falhas e como reforçar seus pontos positivos.

Inclusive, estamos fazendo uma pesquisa nacional sobre isso. Você deve receber um e-mail na quarta ou na quinta-feira falando sobre a pesquisa, mas se já quiser ir se adiantando, aqui vai o link: https://goo.gl/YwdsaI.

O problema é que ao invés de romper o círculo vicioso da baixa performance, muitos vendedores se aprofundam nele.

Basta, por exemplo, perguntar quanto tempo semanal dedicam para a melhoria profissional.

O resultado mais comum é entre ZERO e 15 minutos por semana.

Isso significa que as pessoas passam mais tempo escovando os dentes ou se penteando do que investindo no seu próprio aprimoramento profissional.

Acho ótimo escovar os dentes regularmente, mas é preciso bem mais do que isso para ter alta performance em vendas, especialmente num país com inflação de 9% ao ano e PIB retraindo 1,5%.

Felizmente temos ainda 98,5% do PIB para trabalhar. Entretanto, a competição aumenta e a necessidade de ser eficiente e produtivo só aumenta.

Faço revisões mensais de algumas atividades minhas e uma delas é de aprimoramento pessoal.

Quanto li? Quanto investi de tempo, energia e dinheiro nisso? (Resposta: li pelo menos um livro por semana, todas as semanas de 2015 até agora).

Quais cursos fiz? Quantas videoaulas assisti? (Nos sábados faço treinos longos na esteira e bicicleta da academia assistindo a vídeos do TED).

O que criei de novo? O que fiz de diferente? Quem ajudei?

O que aprendi?

Quem conheci de interessante? (Este ano com certeza absoluta foi o pessoal do mastermind que participo, liderado pelo Victor Damásio).

Há anos faturo pessoalmente na casa dos sete dígitos. Eu diria que isso é resultado de vários motivos:

  • Muito trabalho (mesmo). Incluindo sábados e domingos.
  • Adorar o que faço (ajuda muito com o item anterior).
  • Uma esposa que adoro e que me dá suporte e apoio como só ela sabe dar. A vida fica muito, muito mais fácil quando você se casa com alguém que lhe entende e que lhe ajuda a ser o seu “melhor você”.
  • Foco.
  • Criatividade e inovação. Sempre inventando algo novo. Nunca ficar parado. Sem acomodação. Sem medo de errar (nem de acertar e ser feliz).
  • Dias perfeitos (quem faz meus cursos sabe do que estou falando).
  • Dedicação incansável a melhorar sempre, o que significa nunca parar de estudar e aprender e estar com frequência em zonas de alto desconforto (que é onde realmente crescemos).

Vejo o tempo inteiro as pessoas dando desculpas para não melhorarem seus resultados.

Terceirizar a culpa é o caminho mais fácil da incompetência.

Não tenho tempo, não tenho condições, não consigo são só desculpas para a manutenção do que já existe hoje.

Os melhores tenistas, os melhores atletas, os melhores artistas todos têm…

Conteúdo completo somente para assinantes da E-zine VendaMais (Grátis).

Clique aqui, cadastre seu e-mail para receber semanalmente dicas do Raul Candeloro. Junte-se aos mais de 55 mil assinantes. E receba gratuitamente um e-book com 31 dicas para divulgar seu negócio!