Com a palavra, Stephen R. Covey

Descubra como despertar uma grande força motivadora dentro de você

Ouça sua voz. Não essa que você usa todos os dias para cumprimentar os vizinhos, falar com os clientes e prospects, vender. A voz mais forte, que vem do fundo, que diz a você qual o seu propósito na vida. É sobre isso que Stephen Covey fala em seu livro, O 8º Hábito, da Eficácia à Grandeza. 

Stephen Covey é o co-fundador e vice-presidente da FranklinCovey ? empresa de serviços profissionais de liderança global ? foi considerado pela revista Time uma das 25 pessoas mais influentes dos Estados Unidos e é o autor de Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes. Covey diz que não basta ser eficaz. É preciso ser mais. É preciso ser grande. Deixar o seu legado no mundo. Veja a entrevista que Covey concedeu com exclusividade à revista Motivação e aprenda como despertar a voz da grandeza. 

Em um de seus livros, o senhor explica que a voz é a união entre o talento (nossos dons e pontos fortes naturais), a paixão (coisas que nos energizam, motivam e inspiram), a necessidade (incluindo o que o mundo nos paga por isso) e a consciência (pequena voz silenciosa dentro de nós que diz o que é certo e nos incentiva a fazê-lo).

Encontrar essa voz é descobrir o nosso grande propósito, nosso projeto de vida? É correta essa interpretação? 

A coisa mais importante é encontrar o que as pessoas amam. A maioria busca apenas um emprego, o que é uma pena. Quando alguém faz o que ama, o faz muito bem, e os seus superiores não precisam gastar tanto com burocracia e regras. As pessoas sabem o que fazem, elas se conectam emocionalmente com o propósito do trabalho. Se você tiver essa conexão emocional, esse amor pelo trabalho, você será um sucesso. As empresas precisam perceber que devem ajustar os cargos às pessoas, e não o contrário. 

Mas mesmo assim o pessoal pode ficar frustrado com as empresas? Quando um funcionário acha sua “voz”, e a companhia não permite que ele se expresse como desejava. 

Se a empresa não dá ao funcionário as condições que ele precisa para exercer a sua voz, ele vai fazê-lo lá fora. Vai trabalhar em organizações não-governamentais, vai usar a sua voz para fazer trabalhos incríveis em caridade. Essas notícias vão acabar chegando à sua empresa. E nada convence melhor uma pessoa que não acredita que colocou alguém em um lugar errado ou não quer acreditar, nada convence melhor um cínico do que resultados. 

Como saber se essa descoberta é correta, se encontramos realmente nossa verdadeira voz? Existem sinais que possam indicar isso? 

Você tem de ouvir a sua consciência. Você precisa ser honesto consigo. Para achar a sua verdadeira voz, você só precisa responder a uma pergunta: “O que a vida está me pedindo agora?”. E escute a resposta. Fale com amigos, eles também sabem em que você é bom, o que você deve fazer e que, algumas vezes, tem medo de admitir. Mas você deve ser honesto consigo. Essa resposta é uma das mais importantes que você tem na sua vida. 

Mas existem aquelas pessoas que sabem a resposta, mas preferem ficar em uma função do que não gostam muito, devido a benefícios: “Não é bem isso que eu gosto, mas paga bem”.

A pessoa que se vende dificilmente terá sucesso na vida. É como diz a Bíblia: “De que adianta ganhar todos os tesouros do mundo, se o homem perder a sua alma?”. A motivação pelo dinheiro só pode levar você até um certo ponto, em que muitos também chegam. Para se diferenciar, para vencer, você precisa de algo mais. 

A voz, o propósito de uma pessoa, pode mudar com o tempo? 

Sem dúvida. Se não mudar nem um centímetro durante anos, a pessoa não está prestando a devida atenção à sua voz ou não está se desenvolvendo. Nós amadurecemos, mudamos, nos desenvolvemos, crescemos. Você passa por muitas e muitas fases na sua vida. Por isso, é preciso sempre ouvir a sua voz, prestar atenção a todo o momento no que a vida lhe pede. 

Todas as pessoas podem encontrar a sua voz interior, mesmo as mais materialistas?

Se elas são materialistas, não se interessam em ouvir nem em encontrar a sua voz. É mais ou menos como um computador, que só funciona com programas. Há programas simples e programas de grande capacidade. A voz é esse software. Quanto mais você o desenvolve mais você pode fazer. Além de escutar sua voz, você tem o dever de desenvolvê-la, alimentá-la e dar mais poder a ela. Só depende de você, só você pode dizer o que deseja ou não de sua voz. Ela está ali, pronta para lhe ajudar a realizar coisas maravilhosas ou pode ficar eternamente fazendo apenas o básico. Depende de você. 

Quais são os passos para encontrarmos nossa voz?

Primeiro: continue a se educar. Assuma esse compromisso com você mesmo. Leia muito, converse, busque bons livros. Desligue a televisão, vá conversar ou procurar alguma coisa nova para aprender. Desenvolva-se, faça com que a sua voz se manifeste mais facilmente. Depois, peça sempre a opinião de outras pessoas. Você precisa saber a quantas anda a sua performance e se você está mesmo cumprindo o que a sua voz interior diz. Ouça os outros atentamente, sem ficar na defensiva. Finalmente, eduque a sua consciência. Tenha uma rotina que permita que ela trabalhe serenamente e em silêncio, apontando sempre para o melhor caminho ? para algumas pessoas, isso é feito através de contato com a natureza ou com as pessoas que elas amam. Outros ? e aí eu mesmo me incluo ? preferem ler livros religiosos. E há dezenas de outras opções, como ouvir uma boa música, trabalhar com idosos ou crianças. Encontre a sua maneira de educar a sua consciência. 

Entrevista publicada originalmente na revista Motivação, em janeiro de 2007

Photo by Paula May on Unsplash