DIRETO DO FRONT: Raul Candeloro entrevista Ezio de Almeida, diretor de negócios no Sicredi

Entrevistas da VM com empresários e gestores para você acompanhar em tempo real os movimentos e ações das empresas durante a crise do COVID-19 

Dando sequência ao quadro de entrevistas Direto do Front, o diretor da VendaMais, Raul Candeloro, entrevista nesta edição Ezio de Almeida, diretor de negócios no Sicredi.

O Sicredi é um sistema de cooperativas de crédito do Brasil, dividido por regiões. Ezio faz parte da central que abrange 4 estados: Acre, Mato Grosso, Pará e Rondônia. Um total de nada menos do que 9 cooperativas, 180 agências e mais de 500 mil associados. Inserido dentre os setores essenciais durante a pandemia – o financeiro – o Sicredi não parou durante a crise e precisou continuar gerenciando as demandas de seus associados e a segurança da equipe.

“Nós tivemos que tomar uma decisão bastante dura de suspender o atendimento presencial nas agências, até para poder preservar a saúde do nosso associado – para evitar as aglomerações – mas também preservando a saúde do nosso colaborador. Mas nós também não podíamos deixar de prestar atendimento ao nosso associado e foi aí que surgiram algumas maneiras criativas e que romperam alguns paradigmas e modelos mentais que nós tínhamos. Por exemplo, o de fazer atendimento ao associado de forma remota, via WhatsApp”, revela Almeida. 

Ao contrário do que imaginava, Almeida afirma que a adaptação para o modelo digital surpreendeu positivamente: “A gente acreditava que alguns segmentos e algumas faixas etárias não teriam aderência a um atendimento digital, e muito pelo contrário, a gente está sendo bem recebido e as pessoas estão felizes, porque a gente conseguiu se adaptar rapidamente a um processo diferente. E a gente está conseguindo manter o nível de qualidade e atendimento e também alguns negócios”. 

>> Exclusivo para assinantes: 21 melhores práticas para diagnosticar a experiência dos clientes

O diretor conta que o momento atual pede decisões muito rápidas, diárias e com pouca margem para erros. E para isso, Almeida considera que é preciso: “ter uma capacidade grande de se adaptar aos novos cenários. Mercado financeiro naturalmente você já vive sob pressão, mas agora a gente está com uma carga dobrada, de viver sob pressão pelas mudanças que são rotineiras. Agora a gente tem que ter desapego ao antigo e uma mega capacidade de aprendizagem – aprender a viver minuto a minuto. A capacidade de ter autoconsciência e ter foco no momento presente está sendo exigida mais do que nunca. E para isso, a gente adotou um mantra: o de resolver um problema por vez”, revela o diretor de negócios.

Confira a seguir a entrevista completa realizada em vídeo, incluindo: 11 pontos do plano tático de reação à crise:

1) Revisão de atitudes e mindset
2) Revisão do planejamento
3) Revisão do modelo de liderança e gestão (incluindo reuniões e comunicação)
4) Revisão dos canais de prospecção, vendas e atendimento a clientes
5) Revisão de processos: funil de vendas, jornada do cliente, régua de relacionamento
6) Revisão da carteira de clientes
7) Revisão de pessoas na equipe
8) Revisão da remuneração da equipe
9) Revisão de ferramentas, aplicativos, softwares, equipamentos, infra-estrutura
10) Revisão de custos
11) Revisão de indicadores e relatórios

Entenda como o Sicredi desenvolveu um comitê de crise para continuar atuando e como fizeram adaptações para continuar atendendo por novos meios de vendas. Conteúdo exclusivo para assinantes da VendaMais Premium e clientes da Consultoria na Soluções VendaMais, o braço de consultoria e treinamentos da VendaMais.

central de guerra covid-19Assista já o vídeo na VendaMais Premium!

Ainda não é assinante? Veja como assinar e acompanhar as novidades em tempo real.

Assista também: