Dicas para obter resultados nas empresas

Existem momentos nos quais necessitamos de uma diretriz que nos conduza com mais facilidade às nossas metas pessoais ou profissionais.

Existem momentos nos quais necessitamos de uma luz, um guia, uma diretriz, que nos conduza com mais facilidade às nossas metas, sejam pessoais ou profissionais. O “guia” que nos mostra as melhores opções nas alternativas a seguir poderá ser um “guru” entre os muitos que estão no mercado nacional e internacional; um empresário amigo, que já passou por dificuldades e gosta de transmitir sua experiência; amigos que tenham bom senso e saibam como se posicionar nas situações críticas; professores com grande conhecimento teórico e prático em gestão de negócios. A nós, cabe ouvir e valorizar tais dicas.

Resultados com processos, produtos e sistemas gerenciais

  1. Rever o ciclo operacional do negócio, entradas, processos, saídas e localizar os pontos de melhorias para reduzir custos e desperdícios ou maior produtividade, buscando melhorar a qualidade e organização. Quais são os desperdícios? Onde ocorrem, nas entradas, processos ou saídas? É possível eliminar as perdas?
  2. Integrar os estoques de matéria-prima, produtos, ajustando seu volume ao caixa disponível, introduzindo estoques máximo, mínimo e ponto de reposição. O estoque é suficiente? Faltam itens? Há algum encalhado?
  3. Melhorar os processos de compras, com relatórios que mostrem o giro dos estoques em prazos pré-definidos, reduzindo itens que não giram e incrementando aquisição dos que tiveram maior margem de contribuição e giro efetivo. É possível comprar melhor? Reduzir custos operacionais?
  4. Rever marketing/vendas/logística, criando formas mais eficazes para trabalhar produtos ou componentes, visando melhorar a rentabilidade do negócio. Por que não vende? Quais os caminhos para vender?
  5. Criar sistemas gerenciais de informações (SIG), que permitam gerenciar os negócios, criando indicadores de desempenho e resultados (IDR), que orientarão os processos de decisão, sem ter de adivinhar, estimar, chutar possibilidades, mas sim com maior probabilidade de acertar.

Resultados com as pessoas

  1. Criar um programa de desenvolvimento gerencial (PDGI), focado em necessidades atuais que formem profissionais flexíveis, atuantes e capazes de decidir, direcionado a resultados e não tarefas, com estilo efetivo e não apenas eficiente, com habilidade para lidar com pessoas, números, relatórios e indicadores de resultados.
  2. Reduzir a curva de aprendizagem (tempo que o funcionário leva para ficar certo, atingir o desempenho máximo), trabalhando também seu comportamento para não pegar o hábito de sonegar informações aos companheiros de atividades, retardando seu progresso e com isso a quantidade de erros operacionais nas atividades, com reflexos na qualidade dos serviços prestados.
  3. Reduzir índices de rotatividade e absenteísmo para diminuir os custos de integração dos novos funcionários e pôr tabela, da própria empresa, melhorando os resultados da empresa.
  4. Criar um PPR (Programa de participação nos resultados), em modelo simplificado associado a metas e resultados crescentes, de forma que à medida que os resultados evoluem, os colaboradores possam obter maiores rendimentos, de forma justa por ser fruto dos seus esforços e dedicação. E, conseqüentemente, a empresa atingirá resultados crescentes, pela motivação que será gerada pelo PPR.
  5. Rever as atividades/responsabilidades/autonomia em todas as funções, melhorando a gestão, processos de decisão, delegação, evitando conflitos entre pessoas por invasão de setor ou falha na tomada de decisões, devido a dúvidas sobre quem deveria decidir e quando fazer.
  6. Aplicar uma ferramenta chamada Motivograma (questionário) para definir que fator motiva cada pessoa, permitindo investir em medidas corretivas com mais foco e retorno mais rápido.
  7. Introduzir o Mapa de Flexibilidade por função e pessoa, acelerando a flexibilização funcional, possibilitando treinar colaboradores em várias atividades e ajustando o quadro de lotação.