Covid-19 – otimismo = empreendedorismo. O que penso e o que vou fazer!

Por Marcelo Salomão Guimarães

Como empreendedor, procuro me manter informado. Mas, de todas as notícias, apenas as que fazem sentido eu consumo. Processo somente o que me ajuda a tomar decisões. Recebemos a primeira onda do tsunami do Covid-19. Essa onda que é rápida, grande e em 60 segundos vai gerar danos que levará muito tempo para recuperarmos. O problema não é essa primeira onda, é o que vem depois.

As empresas (indústria e varejo) devem urgentemente começar uma ação de preservação de caixa. Essa é a primeira medida e a mais urgente a ser tomada. A segunda ação, é mapear todas as despesas e cortar imediatamente o desnecessário. A terceira ação é cortar despesas fixas que possam ser beneficiadas no futuro, aqui inclui-se os impostos.

Evite ao máximo rescisões trabalhistas, tente manter seu time o máximo possível, evite dar férias, antecipar 13º salário, bônus, comissões… segure o dinheiro em caixa, a liquidez vai cair.

>> Exclusivo para assinantes: 14 momentos de customer experience para você mapear em sua empresa

Com o varejo fechado por um tempo, as lojas vão manter seus estoques. Quando retomarem, vão precisar vender e veremos uma onda de desconto sem fim. Os preços vão despencar e a retomada da indústria levará mais tempo que o varejo, pois o varejo só voltará a comprar depois que baixar seu estoque.

Para os prestadores de serviço, o cenário é um pouco diferente. As tecnologias podem contribuir e a demanda deve aumentar, assim como as ofertas. Muita oportunidade irá surgir, principalmente em tudo que a internet estiver envolvida.

Empresas com pouco caixa devem ficar atentas às linhas de crédito que surgem dos bancos geridos pelo governo (BB e CEF). O dinheiro deve ficar escasso e caro, não faça nada que possa comprometer seu caixa.

Vamos aprender muitas lições esse ano

Iremos aprender a trabalhar à distância, a ser mais colaborativo, a usar a tecnologia de forma diferente e veremos muitos negócios novos surgirem de forma disruptiva.

Vamos ver muitas empresas quebrarem também. Vamos perder amigos, entes queridos e tudo isso deixará a gente mais pensativo, proativo, colaborativo.

Esse sem dúvida será o maior desafio que vou enfrentar como pessoa e empreendedor. Pretendo passar por ele empreendendo e contribuindo para que a economia se restabeleça o quanto antes.

Eu decidi enfrentar, é você? #força

Formado em administração de empresas com habilitação em análise de sistemas pela Universidade Metodista de São Paulo, Marcelo Salomão é empresário, fundador e diretor executivo da Gigatron Franchising (franquia desenvolvedora de software), Dot Bank (franquia de banco digital) e do Viela Paris (centro de alimentação). Marcelo é também investidor serial em negócios da área de tecnologia (com investimentos em fintechs e startups), entretenimento, indústria e varejo.

Leia também: