Comunicação estratégica (parte 1): como engajar pessoas a ideias, causas, produtos e serviços (e ainda lucrar com isso)

“Toda venda é uma atividade de comunicação. E, por isso, deve ser planejada de maneira estratégica e executada com habilidade”. A reflexão é de José Luiz Martins, proprietário da Empório da Palestra, empresa que ministra cursos de alto impacto e comunicação estratégica, em formato boutique, personalizados para cada realidade.

Roteirista de televisão, publicitário, palestrante e humorista de stand up comedy, José Luiz Martins trabalha há mais de 20 anos com storytelling. Dentre as criações que já realizou em sua trajetória, estão sucessos como os limõezinhos da Pepsi Twist, as vaquinhas do Toddy e o programa Tá Certo, da TV Cultura.

Como redator publicitário, trabalhou em grandes agências, como Y&R, AlmapBBDO, Neogama e Africa (onde foi diretor de criação). Ganhou prêmios internacionais como FIAP, Festival de Londres, Clio Awards e Cannes Lion. E trabalhou com marcas como Pepsi, Volkswagen, Itaú, Vivo, Vale, Renault, Unilever, Claro e Ambev.

Já como humorista, José Luiz se apresentou nos principais teatros e festivais do país e concedeu entrevistas no Programa do Jô e no The Noite com Danilo Gentili. Além disso, já palestrou no Festival Internacional de Publicidade de Gramado, Metlife, Toyota, SBT, BMW, Onodera e Exército do Brasil.

Hoje, além do Empório da Palestra, José Luiz é proprietário e diretor de criação da produtora de entretenimento Pé da Letra, onde desenvolve formatos e roteiros para programas de televisão e websseries para anunciantes.

Confira no vídeo a seguir como realizar uma comunicação pensada estrategicamente. E leia na sequência dicas do empresário para realizar uma comunicação ainda mais impactante e relevante para o público de sua empresa:

Fale um pouco sobre seu trabalho no Empório da Palestra. Como surgiu essa ideia? Qual o foco?

Somos dois empreendedores da área da comunicação e, como roteiristas, obviamente somos apaixonados por boas histórias. O Empório da Palestra surgiu dessa combinação de habilidade e paixão. Desenvolvemos uma metodologia própria, chamada A Arte do Impacto, com a qual ensinamos executivos, empreendedores, CEOs, profissionais de vendas, startuppers e dezenas de perfis de profissionais os segredos da comunicação estratégica. Ou seja: como usar a comunicação para atingir resultados incríveis rapidamente.

Você poderia nos dar algum exemplo prático extraído da sua palestra sobre Comunicação Estratégica nas Empresas que exemplifique melhor seus principais conceitos, para que nossos leitores conheçam melhor seu trabalho?

Em nossos cursos e palestras, mostramos que comunicar é muito mais que passar informações. Mais do que reportar, precisamos hoje convencer e engajar pessoas. Lembra de que um dia falar inglês era um grande diferencial nas empresas? Hoje virou commodity. Com a comunicação é a mesma coisa: ter o poder de engajar pessoas ainda é um diferencial. Daqui alguns anos, será pré-requisito em praticamente todas as áreas.

Quais são os erros mais comuns que você vê as empresas e as pessoas cometendo em relação à essas questões da Comunicação Estratégica?

Ver a comunicação como um dom, que você necessariamente tem que se nascer com ele.  Saber fazer seu trabalho tecnicamente e achar que, por isso, não precisa se comunicar. Acreditar que comunicação é só para profissionais da palavra.

Dessa lista de erros, qual você considera o mais grave? Por quê?

Para mim, o maior erro é acreditar que comunicação é tarefa de um profissional específico, como professor, comediante ou palestrante. Essa visão parte de uma premissa equivocada de que a comunicação é uma habilidade separada das outras. Muito pelo contrário: ela permeia suas outras habilidades, enriquecendo-as. Todos devem saber se comunicar e podem multiplicar seus resultados se dedicarem um pouquinho de esforço para isso. Não é tão difícil e é bastante divertido.

Imagine um empresário ou empresária procurando melhorar seus resultados nessa área. Por onde começar? De maneira sucinta e objetiva, quais as principais recomendações?

Comunicação não acontece apenas na hora em que você fala, ela começa muito antes. Nós mostramos em nossos cursos in company o poder de um bom briefing, de um brainstorm criativo e de uma estruturação de roteiro inteligente. Com essas etapas bem dominadas, a apresentação final tem chances de sucesso muito maiores.

Falando um pouco do seu trabalho como consultores e palestrantes agora. Que tipos de empresas geralmente contratam seus serviços? O que buscam?

Geralmente são empresas que buscam inovar em seus processos. Que estão inquietas com a forma como o mundo está mudando e querem preparar suas equipes para esse novo cenário. A palavra-chave dos próximos anos é engajar: engajar pessoas a ideias, a causas, a produtos e a serviços. E não existe engajamento sem uma comunicação estratégica bem desenhada.

Por outro lado, que tipo de evento/treinamento/consultoria não é adequado para vocês? Ou seja, que tipo de problemas/situações/treinamentos você geralmente prefere não aceitar ou indicar para algum colega?

Nossa principal expertise é a comunicação estratégica – e suas dezenas de derivações. É um universo amplo e desafiador. Quando a demanda é por algo que foge de nosso conhecimento, costumamos indicar parceiros para atendê-la. Num futuro bem próximo, vamos contar com um leque cada vez maior de instrutores para atuar em diversas especialidades.

Com tanta experiência na área, quais dicas ou informações você vê sendo dadas pela mídia sobre alguns dos temas que vocês abordam com frequência com as quais claramente não concordam ou que acham exageradas ou modismos?

José Luiz Martins, Empório da Palestra

A comunicação é uma atividade que não tem muitas regras. Por outro lado, tem infinitas técnicas que os profissionais aplicaram ao longo de suas carreiras e replicaram as que mais trouxeram resultado. Dessa forma, respeito todo profissional sério, que traz conhecimento autêntico para seu público. A única coisa que vejo com maus olhos é o profissional-espuma: cheio de frases de efeitos e pirotecnias, mas com conteúdos óbvios ou vazios.

Algum último comentário que queira fazer para os leitores da VendaMais?

Toda venda é uma atividade de comunicação. E, por isso, deve ser planejada de maneira estratégica e executada com habilidade. Estamos o tempo todo vendendo: ideias, opiniões, produtos, serviços… vendemos até a nós mesmos quando abordamos alguém em quem estamos interessados. Vender e comunicar são viciantes: depois que você começa a fazer bem, quer fazer cada vez melhor.

Para saber mais:

  • Site: www.emporiodapalestra.com
  • Facebook: Empório da Palestra
  • Linkedin: Empório da Palestra
  • E-mail: zeluiz@emporiodapalestra.com

Leia também:

>> Confira a entrevista do sócio de José Luiz no Empório da Palestra, Regis Folco, sobre Comunicação estratégica (parte 2): como gerar impacto e engajar clientes