Como organizar um varejo para vender melhor? Confira 14 dicas práticas

Confira uma série de cuidados para organizar um varejo de forma a gerar uma melhor experiência de compra para o consumidor e assim vender mais

O sucesso de uma empresa de varejo depende muito das vendas. E, para que essas sejam adequadas, são vários os cuidados que devem ser tomados pelos empresários. O problema é que, em muitos casos, os estabelecimentos acreditam que apenas bons preços, uma boa localização ou outro fator isolado são suficientes, deixando de lado pontos cruciais.

Um ponto muito pouco pensado pelos empresários é a experiência que o consumidor experimenta ao entrar em um estabelecimento, o que envolve pontos importantes como ter uma boa organização do varejo e uma padronização para expor os itens no ponto de venda.

>> Exclusivo para assinantes: transformação digital: o futuro das suas vendas e da sua empresa depende disso

Para o diretor de comunicação e operações da administradora de redes associativistas de farmácias Farmarcas, Ângelo Vieira, existem situações preocupantes. “Muitas vezes entro em estabelecimentos variados, muito bem localizados e com uma proposta teoricamente interessante, contudo me espanto com uma realidade de total desorganização de produtos, comunicação falha e atendimento inadequado. É importante ter em mente que isso impactará diretamente nos resultados de vendas”, explica.

Ângelo Vieira acrescenta que uma boa exposição e organização de produtos em um estabelecimento, de forma ordenada e com fácil identificação das categorias, conquista os consumidores e ajuda na fidelização.

“São muitos os detalhes que devem ser pontos de atenções. É preciso conhecimento, que vai desde a disposição de produtos, até mesmo a legislação relacionada ao tipo de estabelecimento. Nas farmácias, por exemplo, existe uma série de limitações”, alerta o diretor da Farmarcas.

Veja a seguir 14 dicas de Ângelo Vieira para organizar o varejo para vender mais:

  1. Posicionamento estratégico de produtos focos

Os produtos que levam os consumidores ao estabelecimento devem geralmente ser expostos no final dos corredores e em locais distantes da entrada da loja. Isso estimula o cliente a circular e conhecer outros itens ofertados no caminho.

  1. Visibilidade às embalagens e preços

Organize a exposição de produtos de forma padronizada, com o melhor lado da embalagem para frente. Ou seja, voltado para a visão do cliente, com os nomes e as marcas bem visíveis. Também é importante checar se os preços estão posicionados abaixo dos produtos corretos.

  1. Organização por demanda e tamanho de embalagem

Agrupe as subcategorias e os sabores em ordem crescente de demanda, ou seja, coloque primeiro na visão do cliente os itens que vendem mais. Além disto, uma dica é posicionar as embalagens menores nas prateleiras que estão na altura do quadril e as maiores nos expositores mais baixos.

  1. Mantenha produtos da mesma categoria sempre juntos 

Evite o vai-e-vem do consumidor, com os itens da mesma categoria separados em diferentes prateleiras. Coloque esses produtos juntos para que se possa optar pelo que melhor atende à necessidade naquele momento.

  1. Alto e baixo giro

Expor os produtos de alto giro em uma altura abaixo do joelho do cliente ou atrás de balcões de vidro pode desestimular a compra pelo consumidor. Dar destaque para esses produtos é fundamental para o resultado de vendas. Evite reservar grandes espaços nas gôndolas para os produtos de baixo giro.

  1. Boa sinalização 

Se preocupe com a facilidade para o consumidor encontrar um produto. Certifique-se que a sinalização está clara para o facilitar a procura do produto na loja pelo cliente. E treine a equipe para sempre orientar de forma correta.

  1. Quantidade insuficiente de itens 

Evite deixar apenas uma embalagem de cada produto exposto na gôndola. Isso dá a impressão que o produto está acabando ou saindo de linha. Manter o mobiliário da loja bem abastecido é fundamental.

  1. Promoções sem exageros 

É sempre bom evitar o excesso de ilhas promocionais. Use a estratégia de forma objetiva. É imprescindível ter clareza na estratégia de PDV. Certamente é mais assertivo investir em uma ação bem desenhada do que fazer várias para tentar acertar o que pode dar certo. Isso gera certa confusão na cabeça do consumidor, que não sabe no que realmente deve prestar atenção.

  1. Precificação nas ofertas 

As promoções e ofertas precisam estar precificadas com todas as informações visíveis ao consumidor.

  1. Limpeza e higiene dos produtos 

Cuidar da limpeza das embalagens e mobiliário, assim como da frente da loja, balcões e do chão, é fundamental para garantir um visual agradável no ponto de venda.

  1. Escolha dos produtos para ponta de gôndola e vitrines

As vitrines e pontas de gôndola são os locais mais atrativos para exposição de produtos. Uma dica é utilizar esse espaço para colocar lançamentos e ofertas sazonais relacionadas com as datas comemorativas.

  1. Iluminação adequada

Instale luminárias de qualidade que valorizem a exposição dos produtos na e melhorem a experiência de compra do consumidor. Se quiser chamar a atenção da população que circula pela calçada, uma loja escura certamente terá o efeito contrário.

  1. Treinamento da equipe 

A capacitação de colaboradores é fundamental para manter a organização e abastecimento da loja. É papel da equipe arrumar as prateleiras e sempre repor os produtos quando necessário. Isso ajuda a evitar que o produto não esteja na prateleira quando o consumidor procurar.

  1. Treinamento da equipe deve proporcionar conhecimento e motivação 

Muitos gestores se preocupam apenas com as estratégias de preços, mas equipes motivadas e preparadas também são fundamentais para garantir a prosperidade do negócio.

Leia também: