Autora compara cérebro a um software e cria método para “desbugar” a mente

Alguma vez você já sentiu sua mente “dar uma bugada”, travando no meio de um processo e deixando você sem ação? A coach sistêmica e especialista em Programação Neurolinguística, Elis Borsoi, explica que esta ocorrência é comum. Por isso, ela usou a experiência de mais de 15 anos como analista de sistemas e suporte na área de Tecnologia da Informação para criar um método de desenvolvimento interior com o objetivo de “desbugar a mente”.

Intitulado INNER DEV, o processo visa o reconhecimento de deficiências e destinar foco aos aspectos da vida que gerem mais resultados nas diferentes esferas, eliminando conflitos mentais, insatisfações e desconfortos. “Assim como na tecnologia, é possível eliminar ou minimizar os bugs de nosso cérebro”, defende Elis.

Para descrever o método, a profissional deu vida ao livro INNER DEV – Como desbugar sua mente, resultado de mais de 300 horas de atendimentos realizados por ela, sendo que cada processo individual ocorreu de maneira online, em sessões via WhatsApp, Messenger ou Skype. Para entender algumas das descobertas desse processo, conversamos com a autora. Confira a seguir:

Fale um pouco sobre seu livro, Inner DEV – Como Desbugar Sua Mente. Sobre o que trata o livro e o que motivou você a escrevê-lo?

O livro Inner DEV – Como Desbugar Sua Mente tem como objetivo fazer com que as pessoas tenham um novo olhar com relação à mente e aos padrões de comportamento limitantes que repetem ao longo da vida. O método que detalho no livro ajuda o leitor a refletir sobre esses pensamentos limitantes, eliminando ou minimizando esses bloqueios para planejar e realizar seus objetivos de maneira mais leve e saudável.

A motivação principal foi compartilhar com o leitor minha experiência pessoal e profissional para desbugar, ou seja, destravar minha mente e a mente dos meus clientes online para que estes também destravem as deles e consigam realizar os próprios projetos pessoais e profissionais, a partir desta experiência e das ferramentas de coaching, programação neurolinguística (PNL) e psicologia positiva que detalho no livro. Acredito que muitos deles vão se identificar com estas experiências.

Quais as principais dicas que ele traz para suas sessões de coaching e PNL?

A importância em valorizar as pequenas coisas da vida e o contato com a natureza. Ter relacionamentos saudáveis praticando uma comunicação assertiva com as pessoas em casa e no trabalho.

Dar um novo significado às crenças ou pensamentos limitantes, a partir do momento que começar a pensar que teve intenção positiva com relação aos comportamentos do passado e que fez as melhores escolhas no momento que fez essas escolhas. Assim minimiza a culpa e o arrependimento daquilo que fez.

Aceitar pais do jeito que foram e são sem julgamento, pois eles, na maioria das vezes, repetiram aquilo que aprenderam com seus pais e fizeram o que sabiam naquele momento. Aceitar que eles tiveram intenção positiva quando educaram seus filhos.

Focar sempre naquilo que quer e não naquilo que não quer que aconteça, ou seja, focar sempre no positivo e nos seus pontos fontes.

Refletir diariamente sobre seus pensamentos e comportamentos para saber de onde vieram e para saber também quem realmente é para viver de acordo com seu propósito de vida.

Escrever objetivos e sonhos de maneira realista, clara, específica e com prazo definido para realização.

Aplicar a âncora mental, que é um estímulo externo que dispara uma sensação interna ou sentimento. Temos várias âncoras instaladas no nosso cérebro de forma automática (inconsciente).

Pensar que somos a interpretação que damos aos fatos. Se você pensar e agir diferente e vir aprendizados em vez de se fazer de vítima das situações, você estará no caminho de desbugar sua mente. Evite procurar culpados, assim terá responsabilidade sobre suas ações. Preocupe-se apenas com os fatos e evite criar histórias que ocupem sua mente com pensamentos pessimistas. Foque na solução, evite pensar no problema.

Falo também sobre isso em minha palestra motivacional que levo para as empresas e faculdades: “Como Desbugar sua Mente para Ampliar sua Consciência”. 

Você poderia nos dar algum exemplo prático extraído do livro que exemplifique melhor seus principais conceitos, para que nossos leitores conheçam melhor seu trabalho?

Numa sessão online, uma cliente comentou que se sentia muito cansada por causa do trabalho. Eu sabia que ela não trabalhava além do expediente e, então, perguntei a ela se fazia pausas além do horário do almoço; ela me respondeu que não. Então, perguntei: “O que impede você de realizar pausas para relaxar um pouco, tomar um café ou chá e conversar com os colegas de trabalho?

E ela me respondeu que não achava uma boa ideia, porque não se sentia no direito de fazer isso. Somente fazia pausas quando conseguia entregar todas as atividades planejadas. Como sempre tinha muito trabalho para entregar, raramente fazia pausas. Então perguntei a ela se em algum momento da sua infância ela passou por alguma situação parecida para que ela pudesse ressignificar os fatos. No dia da sessão, ela não se lembrou de nenhum fato.

Na sessão seguinte, que aconteceu uma semana depois, ela me recebeu muito animada dizendo que havia se lembrado de um fato da infância. Ela teve um insight. Então, me contou que, quando criança, sua mãe a deixava brincar apenas após fazer as lições de casa da escola e ela sempre obedecia. Percebeu que estava repetindo, na vida adulta, um comportamento que tinha na infância. Ela pensava inconscientemente: só posso “brincar”, ou seja, fazer pausas, após terminar a “lição de casa”, ou seja, entregar as tarefas de trabalho planejadas. Ela deu um novo significado, no presente, a um fato que aconteceu na infância, ou seja, ela ressignificou fatos inconscientes.

A partir daí, começou a aceitar os convites dos colegas para fazer as pausas, independentemente de concluir suas atividades, pois não fazia mais sentido para ela repetir um comportamento da infância na vida adulta. Isso lhe possibilitou ver seus comportamentos de maneira diferente e alívio por se libertar das consequências deles.

Quais são os erros mais comuns que você vê as empresas e as pessoas cometendo em relação a desbugar a mente?

Percebo que as pessoas acham que vão conquistar suas metas olhando para o futuro, ou seja, se esforçando apenas para conquistar suas metas. Isso traz muita ansiedade.

Importante viverem o momento presente e saberem que as crenças limitantes inconscientes que atrapalham foram criadas na infância. É nela que temos que nos esforçar para buscar a resolução do problema na origem. O “bug” está na criança que foi ferida e magoada em algum momento da sua infância. Uma vez que descobrir isso, o adulto dela terá uma mente mais fortalecida no presente e mais apta para realizar seus objetivos e metas.

Percebo que nas empresas muitos gestores dão feedback focando apenas nos erros e nos aspectos negativos dos seus colaboradores. Muitos falam inicialmente os aspectos positivos e depois um “mas”… por exemplo:

Você entregou determinado projeto em dia e com qualidade, mas teve um dia em que você agiu de maneira grosseira com tal colaborador e isso é inaceitável aqui na empresa”. 

O fato inaceitável aconteceu uma única vez e mostrou que o colaborador estava assim neste dia por alguma questão importante na vida dele. Ele não é assim, ele estava assim.

Quando este gestor fala “mas”, ele exclui tudo de bom que a pessoa fez durante todos os outros dias e foca apenas no erro que ele cometeu uma única vez.  O que eu oriento é inverter a ordem na hora do feedback:

Teve um dia em que você agiu de maneira grosseira com tal colaborador e isso é inaceitável aqui na empresa. Peço que você reflita antes de agir dessa maneira para que isso não se repita, mas você entregou determinado projeto em dia e com qualidade, parabéns”!

Desta maneira, o colaborador recebe um feedback que visa o desenvolvimento e não um feedback negativo. Neste feedback o gestor pode também orientar o colaborador a se conhecer mais por meio de livros, terapias, coaching e treinamentos vivenciais para que ele melhore seu controle/inteligência emocional, pois sabemos que a maioria das pessoas hoje é demitida por seus comportamentos inaceitáveis e não por suas inabilidades.

Elis Borsoi, autora de INNER DEV – Como desbugar sua mente

Dessa lista de erros, qual você considera o mais grave? Por quê?

Acredito que os dois são muito graves e estão interrelacionados. Quando um colaborador tem um comportamento inaceitável na empresa, ele está expressando o seu lado infantil e magoado a partir de uma lembrança inconsciente de algo que aconteceu no passado. Por isso a importância que ele desbugue a própria mente para ampliar a consciência e entender de onde vem esse comportamento.

O erro desse gestor na hora de dar o feedback vem da falta de habilidade com relação ao entendimento da importância em focar nos pontos positivos do seu colaborador e da falta de sensibilidade em orientá-lo a buscar ajuda de um profissional especializado em mudança de comportamentos. Muitos gestores focam apenas em treinamentos técnicos e esquecem dos treinamentos comportamentais. Acredito que esses gestores também precisem de treinamentos assim.

Na VM somos bem focados em Vendas e na área de negócios/empresarial. Imagine que um empresário ou vendedor precisa desbloquear tais armadilhas mentais. Por onde começar? De maneira sucinta e objetiva, quais as principais recomendações?

Primeira coisa a se fazer é descobrir qual sentimento tem. Por exemplo: medo de errar, insegurança, medo de não conseguir, medo de não ser aceito do jeito que é, etc. Depois pense em quais momento da sua vida você se sentiu assim, até você chegar na origem do problema que normalmente é na infância. Após isso, acolha essa criança que está com medo, magoada e ferida e diga a ela que agora o seu adulto vai cuidar dela e que vai ficar tudo bem. Assim o adulto se fortalece e percebe que não faz mais sentido e que não é saudável agir como criança na vida adulta.

Aplico um exercício/vivência para praticar isso na palestra que aplico nas empresas e faculdades.

Falando um pouco do seu trabalho como coach e especialista em programação neurolinguística agora. Que tipo de pessoa ou empresa geralmente contrata seus serviços? O que busca?

Pessoas que se sentem inseguras, muito ansiosas, com baixa autoestima, que não sabem qual é seu propósito de vida. Pessoas que estão prestes a se aposentar e não tem objetivos após a aposentadoria. Mães que veem seus filhos adultos e não sabem o que fazer, pois seus filhos eram seus objetivos de vida. Pessoas desmotivadas com relação à própria profissão. Essas pessoas buscam realização pessoal e profissional, tranquilidade para viver de maneira mais leve e sem culpa e arrependimentos por tudo aquilo que fizeram no passado.

Por outro lado, que tipo de problemas/situações/treinamentos/palestras você geralmente prefere não aceitar e indicar para algum colega?

Quando percebo que a pessoa precisa de um acompanhamento com psiquiatra, por exemplo: quando se trata de casos como pensamentos suicidas e depressão grave.

Você realiza atendimentos online, em sessões via WhatsApp, Messenger ou Skype. Pode nos contar um pouco sobre os benefícios das ferramentas virtuais para a sua atividade? Há alguma limitação ou objeção ao coach online? Caso sim, como você enfrenta essas objeções?

Os benefícios são:

  • Proporciona comodidade e liberdade para fazer a sessão em qualquer lugar, mesmo durante as viagens;
  • Pode ser feito de qualquer lugar do mundo;
  • É muito indicado para pessoas tímidas, pois se expressam melhor por comunicação digital;
  • Indicado para mães que tem filho pequeno e só tem horário disponível após o filho dormir à noite;
  • Pode ser feito a qualquer hora do dia ou da noite;
  • Indicado para pessoas com necessidades especiais que não podem sair de casa;
  • Menor preço, pois não há gastos com aluguel de sala e transporte;
  • Ganho de tempo que seria utilizado no transporte;
  • Sustentável. Não há queima de combustível fóssil, pois não há utilização de transporte;
  • Contribui com a melhoria do trânsito, pois não se utiliza transporte.

O seu processo de coaching é dividido em cinco fases: sonhar, investigar, desenvolver, realizar e acompanhar. Pode comentar de forma sucinta como funciona cada etapa?

  • Sonhar: levantamento dos conflitos, insatisfações, desconfortos e incongruências, definição de sonhos e desejos da pessoa que me procura.
  • Investigar: mapeamento de todos os aspectos da vida para descobrir qual focar para alcançar melhores resultados. Análise da gestão do tempo e da repetição de padrões de comportamentos. Descoberta de conhecimentos, habilidades, atitudes, pontos fortes, pontos de melhoria, valores, origem das crenças limitantes. Descoberta do propósito de vida.
  • Desenvolver: desenvolvimento de novos pensamentos e comportamentos para alcançar novos resultados. Fortalecimento das crenças impulsionadoras e enfraquecimento das crenças limitantes. Criação de estratégias para alcance dos objetivos.
  • Realizar: prática dos novos pensamentos e comportamentos desenvolvidos na fase anterior. Definição de plano de ação para alcançar objetivos.
  • Acompanhar: análise do que foi realizado. Comparação do resultado obtido com o resultado desejado. Se não alcançar, mudar estratégia e recomeçar processo. Se mudar, priorização de valores, mudar objetivos. Celebração das pequenas e grandes conquistas neste processo.

Com tanta experiência na área, quais dicas ou informações você vê sendo dadas pela mídia sobre alguns dos temas que você aborda com frequência com as quais claramente não concorda?

Não concordo quando dizem que devemos perdoar as pessoas que nos magoaram e pedir perdão quando fazemos algum mal a elas.

Pela visão sistêmica, o melhor a ser feito é aceitar de maneira ativa os fatos e as pessoas do jeito que são sem julgamentos. A aceitação acontece quando as pessoas percebem que tudo que ocorreu foi necessário para seu crescimento e aprendizagem.

É importante dizer às pessoas que magoamos: “Sinto muito”. Assim você assume sua parcela de responsabilidade no acontecimento e segue sua vida sem sentimento de culpa.

Algum último comentário que queira fazer para os leitores da VendaMais?

As habilidades do ser humano em um futuro bem próximo serão as comportamentais e não as habilidades técnicas. Segundo o Fórum Econômico Mundial, a inteligência emocional é uma das 10 habilidades comportamentais mais importantes para os profissionais do futuro.

Então eu recomendo que você reflita sobre tudo que leu acima e decida se vale ou não pena investir na sua inteligência emocional para que desbugue sua mente e amplie sua consciência para a realização dos seus objetivos e sonhos pessoais e profissionais.

Para saber mais:

Leia também: