Atitudes: você não é a média das 5 pessoas com quem mais convive

Por Silvana Lages 

Você, provavelmente, já deve ter lido por aí que “nós somos a média das cinco pessoas com quem mais convivemos”. Presente em diversos posts nas redes sociais e até mesmo em famosos livros de empreendedorismo, a afirmação, a meu ver, não passa de um equívoco vitimista, que delega responsabilidades de sucesso e conquistas ao outro, e não às atitudes tomadas individualmente.

Uma marca pessoal que se preze não é moldada pelo vitimismo

Ela é feita por meio da autorresponsabilidade e da ação. Você é aquilo que você acredita. Aquilo que você valoriza. Aquilo que você transparece e aquilo que você produz. Sua marca pessoal é fruto das suas ações e das suas escolhas diárias. E não exclusivamente resultante de interferência externa.

Então esqueça o “diga-me com quem tu andas, que eu direi quem tu és”. Somente estar rodeado de pessoas bem-sucedidas e pessoas que produzem grandes resultados não é o suficiente para agregar valor à sua marca pessoal. É bom, ajuda, é importante, mas não é só isto. Eu mesma já conheci muita gente que está cercada de ótimas referências. E, ainda assim, não obteve grandes conquistas no ramo pessoal ou profissional.

Isso acontece porque somente assistir o empenho, a dedicação e o sucesso dos outros não é o bastante. A média das cinco pessoas com quem você mais convive pode ser altíssima. Mas ela não tem valor algum caso você não corra atrás daquilo que sonha.

São pouquíssimas as pessoas que conseguem enxergar isso

É extremamente comum encontrarmos gente que justifica a sua falta de mérito em terceiros. A culpa por não ter conseguido uma promoção do trabalho é sempre do chefe. A funcionária que foi promovida é a protegida da empresa. A vaga de emprego não foi conquistada por puro azar e por aí vai… Falo com propriedade, pois por muito tempo pensei e, pior, agi assim. Hoje vejo com errei agindo dessa maneira.

A culpa sempre do outro. E é aí que eu pergunto: o que será que essa pessoa fez para conquistar o lugar que sempre quis estar? Será que ela tomou as atitudes necessárias para valorizar a própria marca pessoal? Ou apenas se apoiou na imagem de outra pessoa?

Tenha em mente: você não é a média das pessoas com quem mais convive

Outras pessoas podem até te inspirar a construir uma marca pessoal de valor. Mas a única pessoa que é capaz de fazer algo por você e te levar aonde estão seus sonhos É VOCÊ MESMO. Sucesso e resultado não passa por osmose – eles são conquistados por atitude.

Sucesso, além de ser relativo de pessoa para pessoa, não é algo fácil de conquistar, principalmente no mundo atual com abundância de grandes profissionais. Falo, novamente, com propriedade: eu ainda não cheguei lá. Mas foi observando meus erros do passado e as escolhas que tenho feito no presente que hoje venho fazer esta reflexão.

Estar bem relacionado e ter amizades de alto nível e estratégicas é fundamental e indispensável. Mas esses formam apenas um dos pilares e você não pode se apoiar apenas nele. Sua marca pessoal está ligada aos cinco últimos livros que você leu. Às cinco últimas palestras que assistiu. Aos cinco últimos cursos que fez. Aos cinco pensamentos mais recorrentes que você tem.

Então se espelhe nas pessoas que te inspiram e faça acontecer por você

Tenha ação! Busque ser uma pessoa melhor! Essa é a única e infalível forma de conquistar uma marca pessoal de sucesso e de valor. Vamos juntos? Eu estou sempre buscando por isso. Nem sempre acerto, mas estou todos os dias tentando e cada dia mais focada, sabendo quais são minhas responsabilidades.

E vamos lembrar todos os dias, me incluindo nesse lembrete diário: não vitimize a sua marca pessoal. O seu sucesso só depende do que você faz ou deixa de fazer por você.

Silvana Lages é Coach de Marca Pessoal e Palestrante. Para saber mais, acesse: www.silvanalages.com.br

Leia também