Atingindo Metas com Equilíbrio Emocional

Confira a entrevista com Marcia Oliveira, coach de relacionamentos, que fala sobre a importância do equilíbrio emocional no atingimento de metas.

Fale um pouquinho mais sobre seu trabalho de coaching em grupo. O que é exatamente e como funciona?

Vejo o coaching como um processo e a minha proposta é que durante 3 meses, em 10 sessões semanais, o grupo compartilhe suas experiências e resultados desse processo empoderador, onde os exemplos são fundamentais. Atingindo Metas com Equilíbrio Emocional é o tema, e a abordagem parte do pressuposto de que, ao reconhecermos nossa verdadeira natureza, temos condições de adquirir a maestria em todas as áreas da vida, isso requer treinamento, repetição e é isso que proponho.

Por que isso é importante para as pessoas?

A grande maioria de nós foi treinada durante toda a vida a ver tudo de forma bastante limitada, ou seja, acabamos acreditando no que os outros dizem sobre nós mesmos e sobre como devemos viver. O processo convida as pessoas a assumirem total responsabilidade sobre suas vidas e, sem vitimização, joguinhos manipuladores, intenções autocentradas, começamos treinar ver a realidade, e não mais viver de fantasias.

Você poderia nos dar um exemplo prático extraído de algum de seus grupos que exemplifique melhor seus principais conceitos?

Sem dúvida ” eu sou” o melhor exemplo do resultado benéfico daquilo que ofereço as pessoas. Vivia uma vida sem propósito, vazia, com relacionamentos mantidos a base de controle, muito stress, ansiedade, picos extremos de alegria e tristeza. Hoje vivo o prazer da estabilidade constante, me direciono para o que desejo conquistar com leveza e confiança… Quanta diferença! Vários são os exemplos vividos pelos meus coachees, mas o que faço questão de ressaltar é que, a partir da harmonização dos relacionamentos evitados, seja consigo mesmo ou com outros, novos e melhores resultados fluem intensamente: essa é uma das grandes chaves.

Quais são os erros mais comuns que você vê as pessoas cometendo em relação à questão do sucesso pessoal e profissional?

O principal equívoco é acreditar que o sucesso é algo individual, a partir dessa visão autocentrada, tudo começa a degenerar. A visão que tudo inclui é a única real, e parte da premissa ”como posso contribuir beneficamente com o todo?”. Sem essa resposta clara e ações alinhadas, não acredito que possa haver sucesso verdadeiro. Por termos sido educados a acreditar nas crenças ligadas à ”separação”, tentamos colocar a vida em compartimentos e artificializamos todos os nossos comportamentos, mascaramos na vida pessoal e profissional. Por falta de educação na natureza da realidade, seguimos buscando alívio e prazer no que jamais nos dará efetivamente.

Dessa lista de erros, qual você considera o mais grave? Por quê?

Como citei acima, a visão autocentrada é extremamente limitante e jamais nos proporcionará satisfação real, ou mudamos nossa maneira de ver tudo nos abrindo para uma nova educação ou continuaremos vivendo sem propósito. É uma escolha essencial.

Imagine que uma pessoa está procurando melhorar seus resultados. Por onde começar? De maneira sucinta e objetiva, quais as principais recomendações?

Pelo reconhecimento de si mesma, de sua base estável, clara, lúcida, inteligente, aberta, que não é afetada por nada e que está sempre disponível, de onde brota a ética natural, amor incondicional, compaixão espontânea e soluções inovadoras e criativas que beneficiam o todo. Quando uma pessoa se abre para um treinamento nesse nível, tudo começa a fazer sentido.

Falando um pouco do seu trabalho como coach agora – que tipo de empresa ou profissional geralmente contrata seus serviços? O que buscam?

Empresas cujos líderes percebem que as pessoas querem viver uma vida com propósito, assim como ele, e que treinamentos superficiais trazem resultados superficiais, não sustentáveis. Os profissionais que me procuram percebem logo, na primeira conversa, que o que eles achavam ser o problema é, na verdade, um grande aliado. Por exemplo: se o rendimento, a motivação ou o comprometimento está em baixa, esse dado está simplesmente o convidando a olhar mais profundamente para a sua forma de ver a vida e se reconhecer. É simples, basta aceitar ou não. Quanto mais se resiste a buscar apoio para essa mudança, mais a bola de neve cresce…

Por outro lado, que tipo de evento/treinamento/consultoria não é adequado para você? Ou seja, que tipo de problemas/situações/treinamentos você geralmente prefere não aceitar ou indicar para algum colega?

A comunicação é muito clara desde o início, 3 meses de processo não dão conta de uma vida inteira de treinamentos baseados no autocentramento. Minha proposta é apenas o start. Na verdade, fechamos um ciclo e logo é proposto outro, que dependerá do resultado do primeiro. Tudo é muito vivo, dinâmico, sem regras e conceitos fechados, não trabalho com quem quer resultados imediatos, porque isso eu não posso entregar e é justamente por essa postura que as surpresas acontecem.

Qual seu diferencial em relação a outros coaches? Qual sua ‘marca registrada’?

Os resultados do meu trabalho sempre estão me surpreendendo, devo isso a minha abertura. Prefiro não rotular nada antecipadamente, se aceito um trabalho, vou lidando com tudo o que aparece: soluções inovadoras surgem naturalmente, sempre há benefícios sendo colhidos. A autenticidade, o olho no olho, as pessoas se sentindo a cada dia mais à vontade pra compartilhar e ampliar suas percepções, empenhadas e comprometidas com a mudança a partir delas mesmas: essa é a minha marca, esse é o meu maior talento e diferencial. Sou única no que faço porque há total entrega e confiança, amo as pessoas e seus resultados, sou fonte pra elas e elas pra mim, empoderamento mútuo, assim, podemos mudar o mundo.

Com tanta experiência na área, quais dicas ou informações você vê sendo dadas pela mídia sobre esse assunto com as quais claramente não concorda?

Há muitos equívocos acontecendo nessa área, assim como em muitas áreas do conhecimento humano. Infelizmente, muitos profissionais estão agindo de forma totalmente irresponsável na área do desenvolvimento humano, não os culpo, estão agindo de acordo com o treinamento que receberam. Faço a minha parte da melhor maneira sempre, e acredito que é só uma questão de tempo para que muitos comecem a rever sua forma de atuação. No que depender de mim, isso será muito rápido.

Algum último comentário que queira fazer para os leitores da VendaMais?

Acredito que o conhecimento só é válido quando direcionado para beneficiar o todo, incluindo nós mesmos. Na minha opinião, há muito conhecimento solto no ar e pouco resultado benéfico. O verdadeiro potencial humano ainda está adormecido na grande maioria de nós mesmos… Quando cada um assume que só há guerra, conflitos, fome, miséria e violência no mundo – porque ainda vivemos a partir de uma visão autocentrada -, nossa vida começa a fazer sentido. Está na hora de parar de resistir e buscar apoio, precisamos intensificar os treinamentos de vida para atuarmos a partir de nossa verdadeira natureza que é pacífica, amorosa, compassiva, estável e ativa, está sempre disponível, em todos nós, esse é o meu recado.

Informação de contato:

Facebook: Marcia Oliveira

E-mail: marciacoach@hotmail.com