Aprenda como trabalhar o seu networking para gerar mais negócios em 2018

Coach e especialista em networking corporativo Glauco Vega conta como construiu uma empresa de sucesso com foco em networking

Networking é uma palavra em inglês que significa rede de contatos.  Para acessá-la, é preciso criar conexão com algo ou alguém. “A agenda de nosso celular está cheia de dinheiro e não notamos. Nossos contatos valem muito e podem gerar muito mais do que se pensa em um primeiro momento”. A abordagem é do coach e especialista em Networking Coorporativo Glauco Vega.

A própria criação da empresa de Glauco, República de Negócios, nasceu assim. Quando saiu do mercado, em 2015, ele foi atrás dos contatos que possuía para buscar uma realocação. Foi quando notou que, na verdade, ele conhecia muita gente bacana e tinha ali mesmo, em sua agenda de telefone, um bom começo para uma empresa de networking.

Conheça mais sobre esta história nesta entrevista de Raul Candeloro com Glauco Vega. E confira também 4 passos importantes para fazer network.

Olá, Glauco, prazer em falar com você e parabéns pelo trabalho que vem realizando. O que vocês oferecem exatamente na República dos Negócios? Como funciona?

Nosso core é desenvolver e aprimorar o network produtivo. Grave isso, ok? Network Produtivo! Hoje o mercado é conduzido por um processo muito extrativo nas relações de negócios entre empresas e fornecedores. No entanto, nossa função é construir níveis de relacionamentos produtivos e voltados a real geração de valor. E, para que isso aconteça, nossos parceiros de negócios precisam de uma certa “elasticidade” nas próprias operações.

Temos três frentes, sendo que uma delas está em fase final de estruturação:

  1. Ativação, a partir de nossa rede de relacionamentos: traz como premissa a relação de colaboração, ajuda e, principalmente, confiança. Vivenciamos isso do outro lado da cadeira, quando atuávamos como executivos de mercado.
  2. Aquecimento, através de um pipeline com heatmap para tratar os clientes dos nossos parceiros.
  3. A RDNSCHOLL, que é nossa plataforma de formação no método CROSSNETWORK.

Glauco Vega, CEO da República de Negócios

Funções:

  • Entendemos o momento da empresa e quais as principais “dores” dela;
  • Desenvolvemos a customização de um pipeline voltado às necessidades e mercado de interesse;
  • Disponibilizamos 100% do nosso networking para gerar oportunidades;
  • Construímos um modelo de pós-venda e gestão de relacionamentos totalmente inverso ao que o mercado está habituado a trabalhar;
  • Promovemos a reflexão das equipes comerciais e atendimento ao novo modelo de mercado, onde as relações de confiança e reciprocidade são as grandes chaves de sucesso.

Em resumo, na República de Negócios nós criamos pontes para gerar mais negócios. Isso é, acreditamos no relacionamento em prol do networking produtivo e, principalmente, na real geração de valores colaborativos. Nosso método de Crossnetwork é feito de forma eficaz e sustentável, de acordo com o que o cliente e sua empresa precisam.

Como a República dos Negócios pode ajudar uma empresa ou profissional de vendas a vender mais e melhor?

Principalmente na mudança de mindset do que são os relacionamentos de negócios no mercado, como se conectar com as pessoas de forma verdadeira e de certa forma educar o profissional de vendas a ser um negociador. Nosso propósito é desenvolver e transformar redes de relacionamentos extrativas em conexões verdadeiras e colaborativas que gerem valor ao mercado.

Você poderia nos dar um exemplo prático?

Acho que nada melhor do que o depoimento de um de nossos clientes e grande parceiro de negócios para responder, não é mesmo?

“Nossa empresa é focada em um segmento específico de mercado. Quando você dirige comercialmente esse tipo de negócio, é uma tendência focar seus esforços somente no seu ‘mundo’. Isso naturalmente limita as possibilidades do produto. O relacionamento com a República abriu portas para diversos segmentos, possibilidades de expansão e mostrou que nosso ‘mundinho’ era muito maior” – Richard Ferraresi, CEO da Promo de Bolso.

Em poucas palavras, a RDN ajudou na aceleração das vendas. Com muito pouco tempo e investimento coerente ao modelo de negócios da nossa empresa, abrimos uma nova frente de oportunidades. Nem imaginávamos que isso era possível.

Que tipo de empresa ou profissional pode se beneficiar deste tipo de serviço?

Já atuamos com pequenas, médias, grandes e mega empresas. Já interagimos de CEOs até a base dessa cadeia comercial. Acreditamos que o importante é os sócios das empresas chegarem ao consenso de que precisam fazer algo diferente em seus negócios para ter mais resultados e que precisam estar dispostos a passar por um processo disruptivo de mindset, sobre como se relacionar com o mercado.

Da mesma forma, que tipo de situação a República dos Negócios NÃO se propõe a resolver?

Processos burocráticos. Não somos uma consultoria de mapeamento de processos. Hoje atuamos como coachs de negócios, onde a educação aplicada por nosso método – o crossnetwork – torna-se quase que uma formação que vem mudando as relações humanas nesse no mercado.

Quais são os erros mais comuns que você vê as empresas cometendo em relação a este assunto específico ou nesta área em que a República dos Negócios se propõe a ajudar (networking, no caso)?

Desinteresse pelo cliente. Nós já mapeamos os 5 vilões do networking que destroem suas relações. E isso já é um dos módulos que vamos tratar no que estamos chamando de RDNSCHOOL, previsto para ser lançado agora em 2018. São eles:

  1. O egocêntrico
  2. O julgamento
  3. O medo
  4. O interesseiro extrativo
  5. O ganancioso

O grande ponto é que não vemos uma real preocupação com o cultivo das relações e isso torna tudo apenas uma relação mercantil. Nossa bandeira é que podemos e devemos construir relações mais próximas com reais intenções, sem ser 100% gananciosos.

Aprendemos muito com a natureza, não é mesmo? Se você apenas extrai de seu jardim, ele não dará novas flores. Com as relações humanas no mercado de negócios acontece o mesmo.

Dessa lista de erros, qual você considera o mais grave? Por quê?

Relação extrativa e egocentrismo são vilões bem destrutivos, mas o mais difícil de lidar no dia a dia é o julgamento. Porque julgamos! Julgamos e julgamos o tempo todo. Para combater esse vilão, o seu estado de consciência e propósito tem que estar em um outro patamar. É um treinamento constante.

Fazer networking produtivo precisa de muita disciplina!

Imagine que um vendedor ou vendedora está querendo melhorar seu processo de networking. Por onde começar? De maneira sucinta e objetiva, quais as principais recomendações?

De forma bem sucinta Sugiro utilizar os 4 passos que eu uso na RDN e são de extrema importância para um bom começo e até mesmo para remodelar sua rede de relacionamentos. São eles:

1º Passo: Proximidade – onde está muito presente a relação de confiança.

  • Estabeleça uma relação de confiança com seus contatos, isto é, mantenha um relacionamento próximo para que esses contatos estejam voltados ao sucesso dos seus negócios.

2º Passo: Intenção – onde declaramos as reais intenções de nos aproximarmos e dos porquês dessa geração de valor.

  • Tenha intenções verdadeiras com sua rede de relacionamentos. Esteja, de fato, disposto a ouvir o que as pessoas têm a dizer, bem como, os projetos que as mesmas estão dispostas a trabalharem ou até mesmo já em andamento.

3º Passo: Intensidade – aqui temos a premissa de fazer uma comunicação clara, frequente e sem pressão.

  • Estabeleça prazos (dias, semanas, até mesmo horas), para que as coisas realmente aconteçam. O tempo e a intensidade de dedicação farão toda a diferença.

4º Passo: Acompanhamento – essa não há como fugir – quem não acompanha, não realiza. Não é controle. Aqui aprendemos com as situações e evoluímos para um novo modelo de atuação.

  • Faça-se presente durante todo o tempo. Isso não quer dizer que você deve “ficar no pé” dos seus contatos. Entenda bem, se faça presente, mantenha contato com a sua rede, demonstre interesse nos projetos dela, esteja conectado e sempre acompanhando o andamento dos negócios. Pode até ser que, em um primeiro contato, você não feche boas parcerias. No entanto, não deixe estes contatos de lado. Mostre sempre que você está disponível para outras conversas e novos projetos.

Qual seu diferencial em relação a outros possíveis concorrentes? Por que vocês são diferentes de outros grupos de networking?

Nossa metodologia foi criada e melhorada a partir de experiências reais vividas do mercado corporativo. Ela foi projetada e executada por técnicas comprovadas cientificamente. Adaptei técnicas como PDCA, Metanoia, Kaizen, Lean e, claro, o coaching para uma visão sistêmica de relações de negócios. No entanto, apresentamos um passo a passo de como transformar seu networking, abrindo inúmeras possibilidades de negócios. Nosso método garante a blindagem de seu networking e abre o mercado para uma visão sistêmica e de contribuição genuína na real geração de valor.

Com tanta experiência na área, quais dicas ou informações você vê sendo dadas pela mídia sobre esse assunto com as quais claramente não concorda?

Controle pelo controle e pessoas servindo aos processos. Isso engessa as empresas e traz um mal muito forte, que é a depressão profissional.

Algum último comentário que queira fazer para os leitores da VendaMais?

O impossível é uma questão de opinião! Até porque, algum dia, alguém vai chegar e fazer o que até então era “impossível”. E que nossas relações são um organismo vivo, que precisa de atenção e nutrição. Um networking bem feito irá com certeza transformar seus negócios e sua vida!

Para saber mais

Leia também: